Menu
TwitterFacebook
Menu
ECP3 Pró-Serenarium Faltam apenas Faça sua Inscrição!
Planejamento de Vida desde a Juventude

Planejamento de Vida desde a Juventude

 

Planejar envolve a elaboração de um plano de ações para se atingir determinado objetivo. De modo geral, todo planejamento envolve 7 perguntas básicas a serem respondidas com precisão:

  • O que realizar?
  • Para que realizar?
  • Por que realizar?
  • Para quem realizar?
  • Como realizar?
  • Quando realizar?
  • Onde realizar?

 

Assim, planejar envolve programar objetivos contendo metas e prazos para sua realização. Mas e quando esta programação refere-se a nossa própria existência?

Algumas pessoas realizam uma programação existencial, ou proéxis, antes de renascer, realizando um curso preparatório durante o período entre vidas, o curso intermissivo. Assim, analisam de modo prévio o que necessitam realizar em termos evolutivos na próxima vida, para que aumentem a probabilidade de acerto assistencial em sua existência intrafísica.

proéxis

Porém, a grande maioria das pessoas que realizaram tal plano de vida não tem a lembrança exata do que necessitam realizar. Na realidade, elas possuem um forte senso de propósito em conjunto com seus valores, e aos poucos vão acessando mais informações sobre sua programação realizada antes de nascer. Em muitos casos ocorrem desvios, gerando um tipo de melancolia perante a própria existência caso não se tenha clareza sobre o que se deseja realizar ou por não conseguir atingir aquilo que pretende.

De fato, para evitar tal condição que é mais comum na meia-idade, torna-se necessário priorizar a realização de um projeto de vida desde a juventude, otimizando as potencialidades e organizando o futuro com base no passado e no presente.

O jovem hoje nasce na Era da Fartura, de informações e de recursos, o que pode tanto ampliar as possibilidades e alternativas quanto gerar dispersão pela grande quantidade de estímulos. Deste modo, é necessário a focalização e convergência de interesses de modo precoce, visando o aproveitamento máximo da existência para materialização dos objetivos traçados no curso intermissivo.

E é justamente esta a proposta da técnica da inversão existencial, também chamada de invéxis: priorizar a evolução, a assistência, a maturidade e o parapsiquismo desde a mocidade, sendo profilática quanto às dispersões e imaturidades comuns na adolescência e utilizando o intelecto e as precocidades em todo seu potencial. Para isso busca-se ampliar a própria lucidez para o que se pretende realizar e fazer um maxiplanejamento da vida humana, otimizando os aportes recebidos desde cedo e reduzindo as possibilidades de desvio da rota traçada.

jovem

É claro que este planejamento não é estanque e nem rígido, pois necessita monitoramento e aprimoramento constantes. A proposta da invéxis é que este planejamento de ações a curto, médio, longo e até longuíssimo prazo seja realizado antes dos 26 anos, que em média é a idade em que o corpo biológico finaliza por completo o seu amadurecimento.

Além disso, as metas de vida devem ser específicas, mensuráveis, atingíveis, relevantes e temporizáveis. Outro aspecto é que os objetivos devem envolver valores interassistenciais, sendo produtivos para quem os atinge e também para o maior número possível de pessoas em qualidade e quantidade, e também que sejam cosmoéticos, levando em consideração uma ética multidimensional, também conhecida como moral cósmica, que utiliza o discernimento e o critério de que aconteça o melhor para todos.

 

Facilitadores e Dificultadores para o Planejamento de Vida

Existem pelo menos 6 dificultadores para a realização do projeto de vida:

  1. Acomodação.
  2. Desorganização.
  3. Falta de objetividade.
  4. Imediatismo.
  5. Perfeccionismo (medo de errar e do que os outros vão pensar).
  6. Reatividade (esperar que as coisas se resolvam).

E também 6 facilitadores para o planejamento de vida desde a juventude:

  1. Abertura à mudanças.
  2. Autoconfiança nos próprios pontos fortes.
  3. Autorganização.
  4. Comprometimento com o planejado.
  5. Flexibilidade para adaptações.
  6. Proatividade.

 

Quem aplica a invéxis é considerado inversor ou inversora, pois inverte o fluxo comum da vida humana e antecipa uma série de atitudes para uma vida mais equilibrada e produtiva.

Um dos aspectos chave mais desafiantes do planejamento inversivo é levar todas as áreas da vida em conjunto com o desenvolvimento do parapsiquismo, ou das parapercepções para além dos cinco sentidos, e a materialização de gestações conscienciais de ideias libertárias, através de livros, artigos, cursos e instituições, exemplificadas na teoria e na prática pelo próprio autor.

Um dos principais objetivos da inversão existencial é a conquista antecipada da condição de desperto, ou desassediado permanente total, ou aquele que não sofre mais com interferências negativas de outras consciências a partir de seu saldo de assistência e autopesquisa realizada.

E você, tem interesse pela aplicação da invéxis? Já realiza o planejamento de sua vida desde a juventude ou ainda se apoia na filosofia do deixa a vida me levar?

A ASSINVÉXIS é uma instituição especializada na educação e pesquisa quanto à técnica da inversão existencial, auxiliando as consciências a priorizarem sua evolução desde a juventude.

Dúvidas, elogios ou questionamentos? Seu comentário é muito importante para nós!

 

Pedro Borges é pós-graduado em Gestão de Pessoas, graduado em Música e acadêmico de Psicologia. Integrante do Grinvex Curitiba/Joinville.

 

2 Comments

  1. Olá,
    Como se aprofundar no assunto, tenho dificuldades particulares, com 34 anos apresento os 6 dificultadores, e com 4 filhos tenho interesse em bem encaminha los para oquanto antes consigam alcançar suas proexis.
    Obrigada

    • Olá Jeane, você pode ficar de olho nos eventos da ASSINVÉXIS e procurar pelos materiais disponibilizados neste site.

Deixe uma resposta