O imenso sucesso relâmpago da jovem Greta Thunberg como ativista ambiental gerou polêmica. Por um lado nomeada um dos 25 adolescentes mais influentes do mundo, tendo recebido diversos prêmios pelo seu posicionamento e liderança. Por outro, criticada por defender campanha repleta de grandes interesses econômicos provenientes de empresas e ONGs ambientalistas, que se aproveitam para explorar o “mercado verde”.

Mas afinal, quem é Greta Thunberg e qual é a origem do seu ativismo ambiental?

Antes de mais nada, é relevante conhecermos um pouco sobre Greta Thunberg e sobre o seu contato com o ativismo. Greta é uma jovem de 16 anos (ano base: 2019), nascida na Suécia, com diagnóstico de Síndrome de Asperger (uma condição do Transtorno de Espectro Autista), que se envolveu recentemente com a causa ambiental, causando um alvoroço em todo mundo.

Greta teve seu primeiro contato com o tema meio-ambiente quando tinha apenas 8 anos. Desde então, a consciência ambiental de Greta se fez presente dentro da própria casa, persuadindo seus pais a se tornarem veganos, aderirem à reciclagem e abrirem mão de viagens aéreas, devido ao impacto ambiental causado pelas aeronaves.

Greta Thunberg segurando placa de protesto escrita “Greves escolares pelo clima.”

Posteriormente, o ativismo ambiental mais sério teve início em 2018, quando decidiu se mobilizar contra as ondas de calor e incêndios que assolavam a Suécia, exigindo atitude política frente ao problema. Sendo assim, Greta decidiu não frequentar mais a escola até as eleições gerais de 2018 na Suécia para protestar em frente ao parlamento sueco, com cartaz que dizia “Skolstrejk för klimatet” (Greve da Escola pelo Clima). Para tanto, suas reivindicações incluíam redução das emissões de carbono, segundo compromisso assumido pelo governo no Acordo de Paris.

Após as eleições gerais, continuou a greve somente nas sextas-feiras, e o movimento acabou ganhando atenção mundial. Em resposta à sua ação, protestos semelhantes foram organizados em todo o mundo por milhares de jovens estudantes. Holanda, Alemanha, Finlândia, Dinamarca, Inglaterra e Brasil foram exemplos de países cujo corpo estudantil aderiu à causa, dando origem ao movimento “Fridays For Future”.

Do ativismo ambiental ao reconhecimento internacional de Greta Thunberg…

A partir daí, Greta participou de diversos eventos internacionais para o debate de questões relacionadas ao meio-ambiente. Com efeito, os discursos que tiveram maior repercussão foram na COP24 (Conferência das Nações Unidas pelas Mudanças Climáticas), em Dezembro de 2018 e no Encontro de Cúpula sobre Ação Climática, na sede da ONU, em Setembro de 2019.

Discurso da Greta Thunberg na COP24 – Acessado em Dez/2019:

Discurso da Greta Thunberg na ONU – Acessado em Dez/2019:

Dessa maneira, Thunberg se destacou na mídia, chamando atenção de todo o mundo e em Dezembro de 2018, foi nomeada um dos 25 adolescentes mais influentes do mundo. Além do mais, em Abril de 2019, foi colocada como uma das 100 pessoas mais influentes de 2019 e em Dezembro de 2019, a revista Time nomeou Thunberg a Pessoa do Ano.

Como resultado, também chegou a ser nomeada como candidata ao prêmio Nobel da Paz, pois, segundo alguns estudiosos, o aquecimento global  será a causa de guerras e conflitos se nada for feito para refreá-lo. Esses foram apenas alguns dos diversos prêmios que recebeu pelo seu posicionamento.

Principais críticas ao movimento de Greta Thunberg

Apesar do reconhecimento por um lado, uma das principais críticas em relação à Greta Thunberg é o imenso sucesso relâmpago impulsionado e financiado, de acordo com diversas fontes, por grandes lobbies e empresas de energia verde que estariam explorando a imagem da jovem com interesse político de promoção do corporativismo verde.

Vocês já pararam para pensar por que a campanha de Greta Thumberg ganhou tanta visibilidade?

Enquanto isso, as reinvindicações de diversos movimentos ativistas, até com discursos contendo soluções mais práticas, foram sistematicamente silenciados ou não ganharam a mesma atenção.

Posteriormente, uma reportagem investigativa do jornal britânico The Times revelou que, “(…) por trás de Thunberg, existem diversas empresas, principalmente especializadas em lobby, acadêmicos e até um think tank fundado por um ex-ministro da Suécia ‘ligado às empresas de energia do país’. Constata ainda que essas empresas estariam se preparando para a maior bonança de contratos governamentais da história: o esverdeamento das economias ocidentais. Greta seria o rosto de sua estratégia política”, escreveu o jornal.

Atualmente, são veiculados cada vez mais evidências de que existem grandes interesses econômicos por trás da campanha de Greta, provenientes de empresas e ONGs ambientalistas, que querem explorar o “mercado verde”, coletando milhões de subsídios do governo. Nesse sentido, é sugerido que o principal interesse dessas instituições seja econômico, mantendo o interesse ambiental em segundo plano.

Diante disso, Thunberg e sua campanha também foram criticadas por políticos como: o primeiro-ministro da Austrália Scott Morrison, a chanceler alemã Angela Merkel, o presidente russo Vladimir Putin, o presidente americano Donald Trump, o presidente da França Emmanuel Macron, o primeiro ministro italiano Giuseppe Conte, OPEP e alguns comentaristas da mídia.

Greta Thunberg discursando

As críticas variam desde ataques pessoais, como o uso de tranças como apologia as propagandas nazistas, até colocações de que seu discurso, carregado de emocionalismos, não apresenta nenhuma solução prática viável para resolver o problema, apenas atribui culpas e cobra resolutividade de terceiros, simplificando demais questões complexas. Além de dar um caráter apocalíptico às questões ambientais.

Contrapartidas ao movimento de Greta Thunberg

Por outro lado, diversas fontes afirmam que Greta tem sido alvo de campanha difamatória promovida pelas empresas que irão perder subsídios, caso prevaleça à política do corporativismo verde. Assim, tem tido sua imagem ostensivamente denegrida nas redes sociais, sendo muitas vezes alvo de fakenews.

É plausível que Greta Thunberg tenha de fato o apoio de líderes, empresas e lobbies que apoiam a causa, mesmo que seja por ganhos secundários. Seja como for, não importa quão nobre seja a causa defendida, pois sempre haverá uma empresa que tentará lucrar às custas dessa causa. Há lobby tanto nos grupos ecológicos quanto nos grupos que se opõem à preservação ambiental, o que precisamos manter é nossa visão crítica sobre o que é veiculado na mídia.

Análise crítica consciencial sobre Greta Thunberg

Para ampliar a compreensão sobre estes acontecimentos, vamos analisá-los também, a partir do olhar da Conscienciologia, ciência que estuda a consciência de maneira integral e integrada.

Greta Thunberg vem ganhando reconhecimento por assumir o papel de liderança assistencial ainda na juventude. Apesar de todas as críticas, é indiscutível a inspiração que a mesma se tornou para milhares de jovens em todo o mundo, que aderiram ao movimento do qual foi pioneira (Fridays for Future) evidenciando resultados positivos e assistenciais a partir da sua conduta.

E o que significa ser assistencial?

Para avaliar com criticidade as atitudes de Greta, é importante, inicialmente, breve reflexão sobre o significado de ser uma pessoa assistencial. Ser assistencial significa ajudar as pessoas, sejam elas conhecidas (por exemplo amigos e familiares) ou desconhecidas (pessoas que não fazem parte do nosso convívio). De acordo com a Conscienciologia, podemos realizar a assistência pela ação de consolar, conhecida como tarefa da consolação (Tacon) e pela ação de esclarecer conhecida como tarefa do esclarecimento (Tares). Nesse sentido, é relevante que a assistência seja realizada pensando em atingir resultados que sejam, de uma forma ou de outra, o melhor para todos.

Nesse contexto, Greta parece estar de fato lutando pelo que acredita, coerente com valores pessoais, e se manifestando da forma que é possível considerando sua idade e condições de saúde. Quanto mais gente estiver lutando pelo meio ambiente melhor será o impacto para a humanidade, já que dependemos de um ambiente saudável para vivermos bem e com qualidade de vida. Porém, precisamos manter nossa visão crítica, é de fato muito provável que seu sucesso relâmpago tenha interesses secundários de empresas por trás. Isso, na opinião pessoal da autora, não invalidaria por completo seu movimento assistencial, porém, talvez, o esteja superestimando.

—> Leia também: Precocidade Assistencial

Quais avanços concretos foram conquistados a partir da campanha de Greta Thunberg em comparação com o de outros ativistas?

Nesse contexto, é importante observarmos que outros ativistas que se mantém lutando por causas semelhantes não receberam o mesmo reconhecimento. Vamos analisar agora quantos prêmios, láureas e exaltações públicas já foram dedicados a ela?

Talvez tenha se perdido algo no meio do caminho, que gradualmente substituiu o foco na assistência pelo foco na performance. Nesse sentido, muito pouco se vê falar de fato sobre os avanços em questões ambientais quando pesquisado o nome Greta Thunberg na internet. Fato que traz um paradoxo, quando diversas fontes priorizam ressaltar o quão incrível ela é e quantos prêmios já ganhou, sem de fato apresentar quais avanços na questão defendida foram alcançados. Portanto, é possível também identificar falhas de abordagem passíveis de serem qualificadas.

Como podemos qualificar a própria assistência e contribuir com a humanidade?

A Invexologia, propõe técnicas de qualificação da intervenção assistencial, que, na visão da autora, seriam as principais críticas construtivas em relação à abordagem que vem sendo feita por Greta. Da mesma forma, essas críticas podem servir para outros jovens que estejam buscando qualificar a própria assistência:

1. AUTORRESPONSABILIZAÇÃO: Conseguir  enxergar nosso papel em determinada situação e tomar atitudes de acordo com nossas capacidades é muito mais interessante para o crescimento  pessoal. Em vez de atribuir culpas e fazer exigências é preferível apresentar soluções para a resolução do problema.

2. RACIONALIDADE: Substituir o discurso carregado de emocionalismos, muito comuns na juventude, por um discurso mais pautado na racionalidade e argumentação fundamentada. A adolescência é um período que temos nossas emoções à flor-da-pele. Apesar de muitos jovens com boa intenção se envolverem em lutas sociais, muitos acabam perdendo o tom quando se deixam levar por suas emoções.

3. EMBASAMENTO: Entender com profundidade o tema que será abordado, por meio da realização de pesquisas em fontes científicas confiáveis, evitando, assim, radicalismos e “excessos” na abordagem.

4. AUTOCONHECIMENTO: Identificar traços, singularidades ou características  pessoais que podem auxiliar na questão envolvida e, posteriormente, utilizá-los de maneira mais qualificada.

5. FOCO NA ASSISTÊNCIA:  Manter a clareza do objetivo principal: a assistência, pois , às vezes é comum a pessoa ficar muito focada no desempenho pessoal e esquecer o motivo principal que a levou para aquele caminho. Dessa maneira, o jovem poderá manter suas ações alinhadas com foco pessoal principal.

—> Leia também: Interassistencialidade Cotidiana

A liderança assistencial de Greta e de outros jovens a uma causa maior

Assim como Greta, existem muitos outros jovens que caminham na contra-corrente do que se é esperado, abrindo mão de passar grande parte do tempo desfrutando de “coisas da juventude” como baladas, drogas, curtição, para dedicar a vida à questões mais sérias e de maior relevância social. Dessa forma, conseguem dedicar suas vidas a uma causa maior desde a juventude.

Esse movimento de liderança assistencial na juventude vem ganhando destaque, e como resultado, tem o poder de motivar muitos jovens através do exemplarismo horizontal. Além disso, incentivam a saída de uma condição de inércia evolutiva, em que aceita-se passivamente valores impostos pela sociedade, para assumirem postura crítica, autodiscernida do papel de protagonistas da própria vida.

Jovens que colocaram a mão na massa e fizeram a diferença

Abaixo, são apresentados exemplos de jovens que colocaram a mão na massa, e mesmo com poucos recursos, conseguiram dar contribuições de extrema relevância para a sociedade:

BOYAN SLAT, 24 ANOS

Boyan Slat, 24 anos

Boyan Slat é um inventor e empresário holandês que cria soluções tecnológicas para problemas globais. A partir da sua liderança assistencial, tornou-se fundador e CEO da The Ocean Cleanup, sendo esta uma fundação holandesa que desenvolve sistemas avançados para livrar os oceanos mundiais de plástico.

Ryan Hreljac , 28 anos

Ryan Hreljac é um jovem canadense que aos 6 anos se preocupou com a falta de  água na África e resolveu juntar dinheiro para ajudar as pessoas afetadas. Em janeiro de 1999, graças a seu movimento, foi perfurado um poço numa vila ao norte de Uganda. Atualmente, Ryan tem sua própria fundação, a Ryan’s Well Foundation, e como resultado como resultado da sua liderança assistencial, levou mais de 400 poços para a África. Além disso, encarrega-se de proporcionar educação e de ensinar aos nativos a cuidar dos poços e da água.

Rogério Gonçalves, 13 anos

Rogério Gonçalves é um jovem brasileiro, natural do Mato Grosso, que criou um sistema de captação da energia solar para disponibilizar eletricidade na comunidade em que reside. A partir, da sua liderança assistencial contribuiu com as condições de vida de várias pessoas da comunidade.

Para refletir…

E você, caro leitor, já refletiu qual é o seu papel no mundo? O que estava fazendo aos 16 anos de idade? Quais empreendimentos assistenciais têm conseguido sustentar até o momento? Quais estratégias já foram traçadas com o objetivo de contribuir para um mundo melhor?

Quer entender mais sobre como organizar a própria vida para se dedicar à assistência desde a juventude? Então leia o artigo Planejamento desde a juventude e acesse o site www.assinvexis.org.br para entender mais sobre a técnica da invéxis.

Dica: visite o nosso canal e assista: Cultura Invexológica: Invéxis e Interassistência

Fontes:

https://www.brasil247.com/mundo/o-lucrativo-nogocio-por-tras-da-ativista-greta-thunberg-financiamento-politico-e-energetico

https://www.bbc.com/portuguese/internacional-49844322

https://www.uol.com.br/ecoa/ultimas-noticias/2019/12/12/curiosidades-sobre-greta-thunberg-a-pirralha-eleita-personalidade-do-ano.htm

https://educacao.uol.com.br/noticias/2019/10/21/greta-thunberg.htm?cmpid=copiaecola

https://aosfatos.org/noticias/como-greta-thunberg-se-tornou-alvo-de-uma-campanha-de-desinformacao-nas-redes/

https://www.huffpostbrasil.com/entry/jovens clima_br_5d8a8926e4b01c02ca6032ad

https://www.boyanslat.com/

https://razoesparaacreditar.com/negocios/desde-os-6-anos-este-garoto-ajuda-a-levar-agua-para-povoados