Eu já tive a sensação de estar fora do meu corpo e você? Essa pergunta pode parecer estranha, mas há pessoas, que assim como eu, relatam terem vivenciado este fenômeno de maneira lúcida. Porém, muitas vezes, por não saberem o que é, ficam com medo do “desconhecido” e bloqueiam a possibilidade de vivenciar essa experiência. Neste artigo, conheça o significado deste fenômeno e elimine suas dúvidas e medos.

A viagem astral ou projeção consciente, pela ótica da Conscienciologia, é um fenômeno natural, espontâneo, vivenciado por todas as pessoas, que ocorre no momento do descanso físico (normalmente durante o sono), onde há um “desencaixe” ou a “soltura” do psicossoma (corpo espiritual) para fora do corpo físico. Por isso, há relatos sobre a “sensação de flutuar” ou “estar fora do corpo”.

Não há idade certa para vivenciar a viagem astral, pois este fenômeno ocorre em todas as faixas etárias. Por hipótese, quanto mais nova a pessoa, maiores as chances de vivenciar o fenômeno, visto que a pouca idade física pressupõe que a consciência está menos adaptada ao corpo humano e com memórias e sensações mais vívidas do seu período extrafísico (antes de renascer), podendo ter maior desprendimento para a vivência da projeção consciente. Experimentar este fenômeno ainda na juventude, pode ser uma oportunidade ímpar do jovem amadurecer a partir da ampliação da visão sobre a vida, a morte e a imortalidade da consciência.

Esse fenômeno é vivenciado e relatado por vários povos há muitos séculos, sendo citado em escritos dos povos Egípcios (Egito Antigo – Livro dos Mortos), Maias, Incas, Astecas, indígenas, entre outros. No século XX, a viagem astral começou a ser estudada por cientistas como Charles Theodore Tart e Robert Monroe, deixando de ser abordado somente nas esferas místicas e religiosas para adentrar ao universo acadêmico.

Fonte: IIPC

Porém foi pela obra – Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência fora do Corpo Humano (lançada em 1986), de autorado do Professor, Médico e Dentista, Waldo Vieira (propositor da Ciência Conscienciologia), que o assunto ganhou profundidade pesquisística. Com uma enorme quantidade de referências bibliográficas jamais reunidas em uma só obra sobre o assunto, este livro é considerado o maior Tratado de projeção consciente até os dias atuais (ano base 2021).

Fonte: Editares

Viagem astral e o Holossoma

A viagem astral é um fenômeno parapsíquico, ou seja, que utiliza corpos e sentidos que vão além dos sentidos físicos. Diante disto, este fenômeno pode ser explicado a partir da teoria do Holossoma, que é o conjunto de corpos em que a consciência pode se manifestar. Segundo a Conscienciologia, a consciência (eu, você, self, personalidade), é um princípio inteligente que utiliza 4 corpos ou veículos, com densidades energéticas diferentes, para se manifestar na dimensão física ou extrafísica. E o desdobramento ou desencaixe destes veículos permitem a projeção consciente ou viagem astral. Os corpos nos quais a consciência pode se manifestar são:

  1. Soma. É o corpo físico. Veículo de manifestação da consciência mais denso, o corpo humano, com características conhecidas por diversas linhas do conhecimento (Medicina, Psicologia, Nutrição, etc), cuja função é viabilizar a manifestação da consciência na dimensão física (dimensão material).
  2. Psicossoma. É o corpo das emoções, ou corpo espiritual (alma). Veículo que possibilita a consciência se manifestar na dimensão extrafísica, ou também conhecida como dimensão espiritual. Este veículo é mais sutil que o corpo físico e na maioria das vezes, é o principal corpo que se manifesta na vivência da viagem astral.
  3. Energossoma. É o corpo das energias, que forma uma espécie de “cola” entre o psicossoma e o corpo físico, permitindo que haja a soltura do psicossoma, sem que o mesmo se desprenda totalmente do corpo físico. Na viagem astral, o energossoma é mais conhecido como cordão de prata. Vale ressaltar que a morte biológica se dá, quando há o rompimento definitivo do cordão de prata, onde o mesmo perde sua função de ser um conector e veículo responsável pela vitalização do corpo físico.
  4.  Mentalsoma. É o corpo do discernimento ou corpo mental. Este veículo é o mais sutil dos 4, sendo ele o mais evoluído. Quando a consciência se manifesta de mentalsoma, ela sobrepaira as condições imaturas humanas e manifesta-se com maior serenidade e fraternidade.

Sendo a viagem astral o desencaixe de todos esses veículos de manifestação, podemos fazer uma analogia à boneca russa, onde da mesma maneira que há uma boneca dentro da outra, quando estamos acordados, os corpos estão todos “dentro” do corpo físico e no relaxamento ou quando dormimos, os corpos se afrouxam, separando-os uns dos outros, permitindo a experiência da viagem astral.

Este fenômeno ocorre comumente durante o sono, por isso, há pessoas que confundem a viagem astral com um sonho comum. A melhor maneira de diferenciarmos resumidamente, é entendermos que quando sonhamos, não temos controle sobre as imagens e situações vivenciadas, onde a pessoa é mera espectadora do próprio sonho, ou seja, somos objeto do sonho e não o controlamos. Já na projeção astral, a pessoa vivencia de fato os enredos ou situações, com poder decisório e de ação, durante o ocorrido. Mesmo com pouca lucidez na projeção, a pessoa pode falar, movimentar-se, interagir com outras consciências, o que no sonho não é possível.

Fases da projeção consciente ou viagem astral

A viagem astral pode ser praticada por qualquer pessoa e para isso, há técnicas projetivas que podem ser aplicadas pelo pesquisador, promovendo o fenômeno de maneira anímica, ou seja, a partir da própria vontade, sem induções de terceiros ou objetos místicos.

Na prática da projeção consciente, há 5 fases principais, vivenciadas pelo projetor, que caracterizam a ocorrência do fenômeno de maneira completa, sendo elas:

  1. Pré-partida. Estado de vigília física anterior, momentos antes da projeção ou saída do corpo.
  2. Decolagem. Saída da consciência para fora do corpo físico.
  3. Volitação. Momento de vivência da dimensão extrafísica, voo a partir do psicossoma.
  4. Interiorização. Interiorização da consciência no corpo humano (reencaixe dos veículos).
  5. Decorrências. Estado de vigília física posterior (decorrências físicas e energéticas após o encaixe dos veículos).

Antes de realizar as técnicas para projetar-se, é recomendado um estudo prévio sobre o fenômeno com objetivo de inteirar-se do assunto para poder aproveitar mais a experiência fora do corpo. Uma das maiores frustrações é poder vivenciar todas as fases da projeção consciente, mas não as reconhecer, ou mesmo não rememorá-las, perdendo a oportunidade de aprendizado mais aprofundado. Por isso, sempre tenha próximo a você, papel e caneta para que possa ser feito o registro das experiências.

5 informações importantes quanto à vivência da viagem astral ou projeção consciente

Receba as novidades sobre inversão existencial em primeira mão!

  1. Qualquer pessoa pode vivenciar a projeção consciente. Por ser um fenômeno natural, em que nosso corpo físico depende deste desprendimento dos corpos para se manter revitalizado, o mesmo é vivenciado por todas as pessoas ao dormir. Porém, a maioria das pessoas não possui lucidez ou lembrança desta vivência.
  2. Para realizar a viagem astral NÃO é necessário o uso de substâncias químicas. O uso de substâncias químicas NÃO é indicado em hipótese alguma para a vivência da projeção consciente, visto que, a pessoa perde o discernimento e o controle de suas ações, ficando vulnerável e sem lucidez quanto ao fenômeno.
  3. NÃO há perigo na prática da viagem astral. A vivência da viagem astral não traz nenhum perigo, malefício e não causa a morte de ninguém. Como todo fenômeno parapsíquico, o mesmo deve ser vivenciado de maneira cosmoética e evolutiva. Vale ressaltar que toda e qualquer ação com intenções espúrias e maldosas, podem trazer consequências desagradáveis e antievolutivas para a pessoa.
  4. Uma experiência de quase morte (EQM) é considerada uma projeção consciente. A EQM pode ser considerada uma viagem astral, pois é a ocorrência projetiva, forçada por circunstâncias humanas críticas como acidentes, cirurgias, doenças graves, sendo essas pessoas sobreviventes da morte clínica. Para quem vive a EQM, pode ser um grande momento de reciclagem íntima, porém o melhor é evitarmos essa condição, praticando a projeção consciente com o corpo saudável, sem a necessidade de vivências traumáticas ou extremas.
  5. É possível ajudar outras pessoas durante a viagem astral. Um dos maiores proveitos da viagem astral é a oportunidade de poder ajudar pessoas necessitadas (vivas ou já dessomadas – falecidas). Este tipo de assistência pode ocorrer pela exteriorização das próprias energias para a pessoa ou mesmo a partir de um encontro no extrafísico. Se o projetor quer se encontrar com alguém que já dessomou, é importante manter o bom senso de somente desejar se encontrar caso não haja mais comoção pela morte do assistido, pois o encontro para ser assistencial, deve ser equilibrado, sem carga emocional exacerbada.

A viagem astral e a aceleração da evolução pessoal desde a juventude

Experimentar a viagem astral na juventude pode promover mudança na maneira de enxergar a vida, tornando o jovem mais maduro para enfrentar as dificuldades do dia a dia, afinal de contas, ao comprovar para si mesmo que a consciência não morre (o que morre é o corpo físico), o jovem pode sobrepairar com maior visão de conjunto os conflitos íntimos.

Na prática da inversão existencial, técnica de vida que objetiva a antecipação da maturidade e organização máxima da vida humana para o cumprimento da missão de vida desde a juventude, pressupõe que o jovem priorize o exercício da projetabilidade lúcida, de maneira a vivenciar as realidades multidimensionais, desenvolver o parapsiquismo e contribuir para as assistências no ambiente extrafísico.

A vivência da viagem astral pode contribuir para evolução do jovem também considerando outros aspectos como:

Perda do medo da morte: A morte é a mãe de todos os medos, e quando superada, há menos ansiedade em relação às decisões importantes de vida, pois esse fenômeno pode proporcionar uma certeza íntima sobre a continuidade da vida após a dessoma.

Lembrança do período intermissivo. O período intermissivo é o período que a consciência se manifesta antes de nascer, entre uma vida e outra. Neste período, algumas pessoas fazem o que chamamos de curso intermissivo, adquirindo mais lucidez no extrafísico e maior preparação para a próxima vida humana. A viagem astral pode proporcionar o jovem visitar locais extrafísicos onde esteve antes de nascer, além de poder rememorar momentos e informações importantes para serem aplicados na atual vida humana, relacionados à missão de vida pessoal.

Ferramenta de autoconhecimento. A viagem astral é uma importante ferramenta de autoconhecimento pois quando estamos projetados, somos aquilo que pensamos. Sabemos a partir de nossas ações, reações e até locais que visitamos, se determinada imaturidade já foi superada, ou mesmo se aplicamos com confiança nossos talentos.

Mudança de paradigma na juventude. O paradigma fisicalista permeia a manifestação da maioria dos jovens, pois é natural da idade, focar de maneira exacerbada em questões como imagem pessoal e bens materiais com o objetivo de se autoaceitar ou pertencer à algum grupo. Visto que esse pensamento é um atraso de vida em relação à evolução pessoal, a viagem astral pode proporcionar ao jovem a mudança de paradigma, auxiliando no foco e valorização da sua manifestação multidimensional, deixando ressaltar a sua essência e não somente a condição física.

Mesmo com muitos materiais para estudo, a viagem astral ainda é um fenômeno que gera muito medo, por ser associada à morte biológica, visto a sensação de desprendimento do mundo material. Mas em muitos casos, a experiência de estar fora do corpo físico e a sensação de “vida após a morte” pode fazer as pessoas que vivenciaram este fenômeno, sair da crença, tornando-se mais disponíveis para os outros e menos materialistas. “Uma projeção consciente lúcida pode mudar a visão de mundo de uma pessoa, reperspectivando a própria vida, de uma hora para outra”.

Referências bibliográficas

1. NONATO, Alexandre; et al.; Inversão Existencial: Autoconhecimento, Assistência e Evolução desde a Juventude; pref. Waldo Vieira; 304 p.; 70 caps.; 17 E-mails; 62 enus; 16 fotos; 5 microbiografias; 7 tabs.; 17 websites; glos. 155 termos; 376 refs.; 1 apênd.; alf.; 23 x 16 cm; br.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2011.

2. SCHNEIDER, João Ricardo; História do Parapsiquismo. Das Sociedades Tribais à Conscienciologia; 1ª Ed. Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2019.

3. VIEIRA, Waldo; Projeções da Consciência. Diário de Experiências Fora do Corpo Físico; 9ª Ed. Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2013.

4. VIEIRA, Waldo; Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano; 10ª Ed. Ver. e aum.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2009.

Filmografia

1. DOUTOR Estranho. Direção de Scott Derrickson. Estados Unidos: Marvel Studios; 2016.

2. E Se Fosse Verdade. Direção de Mark Waters. Estados Unidos: Dream Works; 2005.