Toda área do conhecimento humano conta com seus artefatos, ou seja, objetos desenvolvidos para obter e aperfeiçoar os avanços nestes campos. Assim, artefatos do saber são todas as criações que visam facilitar, ampliar, aperfeiçoar ou agilizar o processo do conhecimento científico e cultural-popular da humanidade.

Dentro da concepção semântica, o vocábulo artefato ou artefacto designa a ação humana no ato de fabricar ou construir com arte e/ou criatividade; já o saber se refere ao conhecimento, a ciência, a informação, a notícia, instrução e erudição.

Algumas áreas do saber não têm como artefato a tecnologia mecânica de objetos concretos, mas sim as sutilezas dos atributos da consciência como artefatos pioneiros do saber universal. Neste sentido podemos utilizar a expressão “artefatos do saber” de forma mais ampla: a arte do saber, onde vão estar presentes os aspectos fundamentais da inteligência humana.

Os artefatos do saber podem ser classificados como: primários, quando se referem aos objetos mais gerais, utilizados por todas as áreas do saber, como por exemplo: jornal, livro, TV; educacionais quando se relacionam ao processo de ensino-aprendizagem (material didático, recursos audio-visuais e outros); tecnológicos, referentes à tecnologia científica (ex.: microscópio, microcomputadores); específicos, próprios de cada área do conhecimento (ex.: aparelhos de observação metereológica, astrológica); e históricos, reportando-se à inventos já obsoletos (ex.: o ábaco, a pena utilizada para escrever); e na concepção mais ampla, os artefatos conscienciais, relativos aos atributos e aspectos da consciência humana (ex.: a memória, a percepção e outros).

Compreender como funcionam os artefatos do saber para utilizá-los mais adequadamente na proéxis pessoal, pode ser um bom método de aprimorar os mecanismos evolutivos conscienciais.

1. ENCICLOPÉDIA Século XX. Vol. 5; 3o ed.; Rio de Janeiro: Ed. José Olympio, 1977.
2. DICIONÁRIO Prático Ilustrado. Vol. 1; 1a ed.; Porto: Ed. Lelo E Imços; 1964.
3. FERREIRA, Aurélio Buarque De Holanda. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 15a ed.; Rio de Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1986.

Tags da sua leitura