Conscienciologia. A Conscienciologia é uma ciência que se dedica ao estudo da consciência e seus diferentes aspectos de manifestação. Considera que a realidade é multidimensional e que a consciência pode se manifestar em diferentes dimensões, o que explica a existência dos fenômenos parapsíquicos e a sobrevivência da consciência para além da vida humana.

Fonte: Solides

Conscienciologia: por que é uma ciência?

Ciência. Segundo o dicionário Houaiss (2009), ciência é definida por 1. conhecimento atento e aprofundado de algo. 2. corpo de conhecimentos sistematizados adquiridos via observação, identificação, pesquisa e explicação de determinadas categorias de fenômenos e fatos, e formulados metódica e racionalmente. 3. conhecimento que, em constante interrogação de seu método, suas origens e seus fins, obedece a princípios válidos e rigorosos, almejando interna e sistematicidade. 

Compreensão. A ciência tem como objetivo compreender a realidade, se aproximar dos fatos. 

Assuntos. Segundo SAGAN (2006) “Não existem questões proibidas na ciência, assuntos delicados demais para serem examinados, verdades sagradas. Essa abertura para novas ideias combinada com o mais rigoroso exame cético de todas as ideias, separa o joio do trigo”. 

Incoerência. Apesar desta afirmação acima, existe uma incoerência na ciência convencional que nega compreender aquilo que não é concreto (material). Alguns cientistas ainda afirmam serem religiosos, mas que a ciência e religião são ramos distintos. Justificando que a ciência ainda não prova a totalidade da realidade, mas negam a tentativa de compreender fenômenos subjetivos que são relatados desde os primórdios da humanidade. Fenômenos que muitos podem ter vivenciado, mas encarado enquanto imaginação ou algo “divino” sem a busca pela compreensão científica daquela realidade.

História. Na história da humanidade já existiram diversos métodos científicos, ou seja, sistematização de passos a serem seguidos para compreender determinada realidade. 

Parcialidade. Segundo VIEIRA (2019), a ciência incompleta é aquela que faz gravitar as suas pesquisas tão somente dentro da dimensão intrafísica (material), ainda indefensavelmente parcial ou imatura perante as realidades holossomáticas, multidimensionais e multiexistenciais da consciência. 

Paradigma. O novo paradigma científico é o paradigma consciencial ou a Conscienciologia que é “ciência que trata do estudo abrangente da consciência, executado pelas próprias consciências através dos atributos conscienciais, veículos de manifestação e fenômenos conscienciais multidimensionais” (VIEIRA, 2019). 

Consciência: o principal objeto de estudo da Conscienciologia

Consciência. A consciência é objeto de pesquisa e estudo principal da Conscienciologia. A consciência se refere ao princípio inteligente, ao self, ego. Então podemos nos perguntar, o que há de mais importante do que estudar o cerne de nós mesmos? 

Multidimensionalidade. Além disso, a Conscienciologia se propõe a estudar os fenômenos parapsíquicos (faculdade além dos 5 sentidos físicos) e a multidimensionalidade, ou seja, a existência de outras dimensões de manifestação além dessa dimensão material.

Autopesquisa. Diferentemente da ciência newtoniana-cartesiana, a pesquisa da Conscienciologia acontece a partir da autoexperimentação e autopesquisa. Apesar de já haver vários relatos semelhantes de fenômenos que se repetem com várias pessoas em diferentes regiões do mundo e culturas como a projeção fora do corpo, a experiência de quase-morte, a ciência ainda coloca isso no campo da imaginação.

Autoexperimentação. A Autoexperimentologia é a ciência aplicada aos estudos ou pesquisas experimentais da própria consciência e seus veículos de manifestação, a partir de observações de fenômenos, fatos ou parafatos utilizando ou não, equipamentos intrafísicos para medições e registros (Kauati, 2017). É este instrumento utilizado pela Conscienciologia.

Investigação. O sujeito busca investigar suas vivências diárias, sendo os fatos e parafatos orientadores de sua pesquisa, assim busca anotar inicialmente sem interpretá-los. Reunindo informações, o pesquisador realiza um levantamento de hipóteses e busca testá-las no seu dia a dia. 

Técnicas. A utilização de técnicas para os autexperimentos são importantes na Conscienciologia, como por exemplo, as técnicas projetivas, ou seja, técnica para a pessoa ter projeção ou a saída fora do corpo e experimentar por si mesmo a multidimensionalidade. Existe o fenômeno da autobilocação, quando a pessoa sai do corpo e consegue ver o seu corpo físico dormindo e percebe que está se manifestando em outra dimensão com lucidez, logo pode concluir que a consciência é mais do que o corpo físico. 

Confirmação. Além disso, há formas de confirmar essas experiências, por exemplo em casos que o sujeito vai a algum ambiente quando projetado fora do corpo vê determinado objeto e depois na vigília física ordinária pode se deslocar até esse local e conferir se o objeto estava lá. 

Energias. Na Conscienciologia, também há o estudo das bioenergias, podendo ser experimentada através de técnicas energéticas comprovando a existência de energias e até dominar a manipulação dessas energias, como também a identificação dos padrões energéticos. 

Evolução. Além da própria investigação e confirmação, a Conscienciologia visa não somente a comprovação pela comprovação, mas a evolução das consciências. Pois, a autovivência e autoexperimentação da realidade permitem o sujeito tirar conclusões muito úteis para si próprio, compreender a existência de energias sadias e patológicas, compreender o que define isso e fazer escolhas evolutivas para sua própria existência. Segundo VIEIRA (1994), ciência inútil não é ciência. 

Atributo. O atributo importante a ser desenvolvido para a pesquisa conscienciológica é a autocientificidade que é definida por “qualidade do autoconhecimento e de modo sistemático e teático (teórico+prático) de adquirí-lo, sem crenças ou dogmatismos, obtidos pela investigação contínua da própria consciência, com enfoque multidimensional, multiveicular, multiexistencial, cosmoético e pró-evolutivo, utilizando técnicas autopesquisísticas e conscienciométricas com rigor metodológico” (KAUATI, 2017). 

Pensamento. Já dizia o próprio Carl Sagan em seu livro O mundo assombrado pelos demônios, “A ciência é mais do que um corpo de conhecimento, é um modo de pensar. […] Quando as pessoas terão perdido a capacidade de estabelecer seus próprios compromissos ou questionar compreensivelmente os das autoridades; quando, agarrando os cristais e consultando nervosamente os horóscopos, com as nossas faculdades críticas em decadência, incapazes de distinguir entre o que nos dá prazer o que é verdade, voltaremos a escorregar, quase sem notar, para a superstição e a escuridão”. 

Superstição. A Conscienciologia é uma ciência porque busca a compreensão da consciência através da autexperimentação, racionalidade e não através da superstição, irracionalidade, emocionalidade ou misticismo. É difícil para algumas pessoas fazerem essa distinção por muitas vezes na história os fenômenos parapsíquicos terem sido sacralizados e colocados no campo da religião, mas não é esta a proposta dessa ciência. 

Pilares da Conscienciologia:

Bases. A ciência Conscienciologia se baseia nos seguintes princípios: 

  1. Autopesquisa: A pesquisa realizada através da autopesquisa e autoexperimentação utilizando o princípio da descrença “não acredite em nada, em mesmo do que está escrito aqui, tenha suas próprias experiências pessoais”. 
  2. Bionergias: Considera o universo composto por duas realidades: consciência e energia. Então é estudado as bioenergias para a compreensão e o domínio das mesmas.
  3. Holossoma: A partir das pesquisas, admite-se a existência de 4 veículos de manifestação: soma (corpo físico), energossoma (corpo energético), psicossoma (corpo das emoções) e mentalsoma (corpo do discernimento). 
  4. Multidimensionalidade: A existência de múltiplas dimensões, além da dimensão material/intrafísica. 
  5. Serialidade: A consciência é multimilenar, submetendo-se a série de vidas nesta dimensão. 
  6. Cosmoética e Universalismo: A cosmoética é a moral do cosmos, resumida naquilo que é o melhor para todos e o universalismo considerando as leis dos cosmos que envolve todas as consciências. 

Receba as novidades sobre inversão existencial em primeira mão!

Descrença. Vale para você leitor, não acreditar em nada aqui neste texto, buscar refutar, refletir, ver se faz sentido e principalmente ter suas próprias experiências pessoais. Se tiver interesse você pode encontrar mais informações da Conscienciologia neste site, tem livros disponíveis gratuitamente no site da editares (https://editares.org.br/livrosgratuitos/) ou se quiser pode entrar em contato conosco para esclarecimentos. 

Referências Bibliográficas:

  1. VIEIRA, Waldo. Projeciologia: Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano. 11ª ed. Foz do Iguaçu: Editares, 2019. 
  2. VIEIRA, Waldo. 700 experimentos da Conscienciologia. 3ª ed. Foz do Iguaçu: Editares, 2013. 
  3. KAUATI, Adriana. Síndrome do Impostor: Superação pela Autocientificidade. 1ª ed. Foz do Iguaçu: Editares, 2017.
  4. SAGAN, CARL. O mundo assombrado pelos demônios: a ciência vista como uma vela no escuro. 1ª ed. São Paulo: Companhia de letras, 2006.