Você tem a meta de entrar para uma faculdade? Veja a seguir dicas de como estudar para o Enem e alcançar este objetivo.

Mas, antes de efetivamente começar a estudar para o Enem é importante refletir sobre o que você deseja para a sua vida. Por isso, reflita sobre os seus valores, seus objetivos, propósito de vida e seu planejamento de vida. A sua carreira profissional será um âmbito ou setor da sua vida, que deve estar alinhado com os demais, para que você seja feliz e conquiste os seus objetivos.

Lembre-se que a carreira profissional não é tudo na vida, e não é aconselhável que você aposte toda a sua felicidade em uma carreira bem sucedida. Por isso, antes de começar a estudar para o vestibular

Passo 1: escolha o curso superior

A escolha consciente da profissão é uma decisão importante na vida. Assim, quanto mais clara e fundamentada para você estiver a escolha da profissão desejada, maiores são as chances de conseguir estudar para o vestibular com motivação e consequentemente ter sucesso no mesmo. Isto ocorre por uma razão simples: é mais fácil vencer um desafio quando a razão é clara e faz sentido para você.

Vale ressaltar ainda que a escolha do curso superior não determina totalmente a profissão, pois são coisas diferentes. Um curso superior pode abrir portas para muitas profissões, assim como uma profissão pode ser realizada por profissionais que fizeram cursos superiores diferentes.

Outro aspecto é que as escolhas de vida, mesmo as mais importantes, podem ser modificadas caso você perceba que não era isso que você queria. Muitas pessoas mudam de curso superior após vivenciá-lo por um tempo. Mas para evitar esta condição você pode conversar e visitar pessoas que fizeram o curso que você deseja, e que visite pessoas trabalhando na prática com o que você deseja trabalhar.

Passo 2: escolha a(s) universidade(s) ou faculdade(s) que deseja cursar

Além da escolha do curso, é importante que você escolha bem onde deseja estudar. Para fazer essa escolha, analise bem os cursos e as grades das instituições de interesse, da mesma forma, converse com pessoas que estudaram ou estudam nesses locais. Ainda, você pode criar uma lista de prioridades e locais pretendentes. Se for usar sua nota do Enem no Sisu, o Sistema de seleção unificada, veja qual as notas de corte para os cursos que deseja, para ter uma ideia melhor do quanto precisará estudar para obter essas notas. É claro que quanto mais disponibilidade tiver para os estudos, melhor!

Passo 3: matricule-se num curso pré-vestibular

Muitas pessoas fazem vestibular a partir do ensino médio, sem passar por cursinhos, pois elas conseguem se organizar para isso, seguindo o mesmo passo a passo e acompanhando os assuntos do ensino médio ou estudam sozinhos. Ou seja, são autodidatas e disciplinadas o suficiente para isso.

Por outro lado, os cursinhos pré-vestibulares são bons tutores para dar cadência aos seus estudos. Por isso, caso você tenha condição financeira que permita, o indicado é que você procure ajuda numa boa instituição pré-vestibular. Neste processo, busque pesquisar sobre todas as disponíveis na sua cidade, bem como as que tenham melhor estrutura: boas salas de aula, professores experientes, bons números de aprovação nos concursos, proximidade de onde você mora e custo benefício.

Ainda, o curso pré-vestibular é um bom ambiente para, além de assistir as aulas, tirar dúvidas, ter contato com outras pessoas que estão tentando o objetivo como o seu, e a partir destes contatos ter acesso a provas, livros e dicas, tentar extrair dos professores dicas sobre o concurso que você deseja passar, e principalmente tentar acompanhar a cadência do ano letivo (pois eles são experientes em organizar o conteúdo para ser estudado dentro do período proposto).

Porém, perceba a partir dos outros “passos” deste texto, que independente do cursinho, para passar no Enem você terá que desenvolver seu autodidatismo, e a sua capacidade de construir sua estratégia sozinho.

Passo 4: procure as provas dos anos anteriores desses locais

Um erro frequente da maioria dos vestibulandos é começar a estudar aleatoriamente, todos os assuntos do curso pré-vestibular ou da escola, na tentativa de abarcar a maior quantidade de assuntos possível. Para evitar este erro, uma estratégia interessante é conseguir as provas dos anos anteriores da universidade que irá cursar, se possível, a de todos os anos.

Você vai encontrar estas provas através de buscas em sites ou cursos pré-vestibular, visto que muitos liberam as provas dos anos anteriores. No caso do Enem, no portal INEP se consegue facilmente todo este material.

Ao achar as provas, é importante ler as questões afim de familiarizar-se com o estilo, forma dos enunciados, assuntos mais questionados, extensão dos assuntos, tamanho da prova, se tem redação, e etc. Pois, quanto mais detalhes você dominar sobre o teste tradicionalmente aplicado na universidade que você irá tentar, mais efetivo será o seu estudo, direcionado para a sua intenção.

Passo 5: tenha um bom ambiente de estudos

Tenha em mente que você irá estudar a maior parte do seu tempo. Então é importantíssimo que você otimize o local onde você irá estudar. Pode ser o seu quarto, um escritório, ou uma biblioteca na sua casa. Caso esse ambiente seja dentro da sua casa, e seja exclusivo para o seu uso, as possibilidades de uso melhoram e aumentam. Isso ocorre pelo fato de você poder customizar o ambiente, colando lembretes, esquemas, fluxogramas, fórmulas, desenhos, cronogramas, instalando quadros para escrever e para guardar seus livros e materiais.

É importante que o local tenha boa iluminação, de preferência ventilado, bom conforto térmico. Melhor ainda se for um ambiente fechado, com poucas distrações, que você não seja interrompido ou perca o foco com facilidade com, por exemplo, pessoas passando.

O fato também de ser fechado ajuda para que você possa ficar à vontade, com roupas folgadas, e que não necessite de muita preparação para ir ao ambiente. Por isso é mais fácil efetivar uma rotina de estudo diário dentro da sua casa do que numa biblioteca pública. Imagine ter que se arrumar todos os dias para estudar em um local público?

Além disso, é importante a ergonomia: você irá passar horas estudando, então a cadeira e a mesa irão te ajudar, e caso seja possível, combinar períodos de leitura sentado e deitado podem ajudar a prolongar a “vida útil” da sua disposição física.

Por outro lado, caso a sua casa seja um ambiente impossível de estudar, você pode utilizar uma biblioteca ou um espaço público. Procure um local que se assemelhe no que for possível às condições citadas acima, pois isso irá aperfeiçoar o seu método de como estudar para o Enem.

Passo 6. Crie um cronograma de estudos

Criar e seguir com firmeza um cronograma com horários, possibilita a implementação de rotinas úteis, aumentando a sua produtividade. Ponha no seu cronograma, pelo menos 8 horas de sono (isso varia de pessoa para pessoa), 1 hora para atividade física, tempos para que você se desloque ida e volta para o seu cursinho, e horários para fazer suas tarefas domésticas e atender necessidades pessoais fisiológicas e dar atenção às pessoas do seu convívio. Caso o seu curso seja meio período, você terá os outros 2 turnos para se organizar, e é possível estabelecer um cronograma com 5 a 6 horas reservadas para estudar para o vestibular por dia, atendendo às outras áreas da sua vida.

Aí vai uma dica: sente-se para começar a organizar as suas anotações e estudos 10 minutos antes horário marcado para iniciar.

Você pode incluir os finais de semana ou não. Lembre-se de 2 coisas: você precisa de lazer, mas quanto mais você estudar, mais estará à frente dos seus concorrentes no vestibular. Não se esqueça que é um concurso, assim, você terá que fazer uma prova melhor que outras pessoas para chegar no seu objetivo.

Passo 7. Tenha acesso racional à internet

É importante que você tenha no ambiente de estudo, a internet à disposição, mas esta deve ser usada com moderação. Ela servirá para tirar dúvidas, olhar imagens do que você está tentando visualizar, assistir vídeos que exemplifiquem o assunto no momento do estudo, usar tradutores ou mesmo dicionários.

Entretanto deve-se ficar atento, pois as redes sociais, bate-papos e youtube são poderosos distratores, e caso você tenha dificuldade de se disciplinar para manter o foco, melhor não tê-los à mão. A dica para isso é você desligar o seu celular e as redes sociais, usando apenas buscadores e tradutores.

Passo 8. Tenha prazer ao estudar

O conhecimento é um valor para muitas pessoas. Saber e compreender um tópico novo pode ser uma das coisas mais prazerosas da vida. Você pode usar isso ao seu favor.

Estudar assuntos de humanas, com história, geografia e literatura ajudam no vestibular, mas também a ampliar os horizontes e compreender as sociedades, as culturas e os períodos históricos. Dominar as exatas e biológicas ajudam a compreender os fenômenos da natureza e a vida no planeta, o próprio corpo e inspiram o contato com o campo e os animais. Aprender o método de escrever uma boa redação é uma ferramenta valiosa para estruturar o modo como nós construímos o raciocínio e a comunicação. A matemática é útil para a vida prática, e praticamente todas as profissões, assim como a vida adulta, utilizam a matemática cotidianamente.

Ou seja, os conhecimentos adquiridos no vestibular são úteis para toda a vida. Você não está só passando no vestibular, está tornando-se mais inteligente. Aproveite.

Passo 9. Abra e feche a sessão de estudos, e aprenda a dominar o conteúdo

Uma forma de motivar-se para estudar é aprender a dominar o conteúdo, com abertura e fechamento. Como seria essa técnica?

Primeiramente, antes de iniciar a leitura, numa folha de papel, liste os objetivos das próximas 2 horas de estudo, de preferência com 1 conteúdo. O objetivos podem ser perguntas a serem respondidas, definições de conceitos ou uma síntese do assunto. Após isso, encare o conteúdo com a confiança de quem irá dominá-lo neste momento. Ao final, responda às perguntas ou faça a síntese proposta no início.

Passo 10. Aprenda como funciona a sua memória

Existem tipos diferentes de memórias: visual, auditiva ou cinestésica. Cada pessoa tem um pouco de todas, entretanto, apreende melhor os conteúdos a partir de uma ou duas principais.

Você pode mesclar as 3, mas é importante que chegue na conclusão de qual é a melhor forma que você lembra dos conteúdos. Há pessoas, por exemplo, muito visuais, que conseguem lembrar o local da página do livro onde estava escrita a informação, e outras que só aprendem ensinando ou fazendo. Por isso, descubra como sua memória funciona, e faça ela trabalhar a seu favor.

Passo 11. Tenha um cronograma anual de provas

Lembra das provas dos vestibulares que você conseguiu? Está na hora de usá-las. Faça um cronograma anual de realização de provas. A sugestão é que seja quinzenal. Ou seja, a cada 15 dias, no horário marcado, você irá sentar e simular uma prova. Isso irá ajuda-lo a conhecer mais as provas do local onde quer passar, e ajudará a adquirir resistência física e mental. Assim, no final do ano, você terá muito mais resistência para fazer uma prova do início ao fim, e estará familiarizado com os concursos que irá fazer.

Outra dica é calcular sua nota ao final de cada prova, e pesquisar qual a nota média necessária para passar naquele concurso. No caso do Enem, fazendo-se uma simples busca na internet é possível encontrar qual a nota de corte dos mais variados cursos para o Sisu e demais seleções. Desse modo terá uma visão realista sobre a sua situação atual, e o quanto você precisa progredir.

Passo 12. Você precisa de lazer

Durante o pré-vestibular, é normal, e esperado, que o seu tempo de lazer seja menor. E deve ser. Mas, é importante que você tenha momentos para descansar e relaxar. É muito difícil e improdutivo passar longos períodos (semanas, meses) estudando sem lazer.

Porém, caso você esteja preenchendo os dias úteis da semana com lazer, provavelmente está indo para o caminho contrário, o do excesso de lazer e a indisciplina. Então, uma dica é usar os finais de semana para isso.

Outra opção é aliar o lazer aos tópicos dos estudos. Por exemplo, lendo romances de literatura relacionados aos estudos, ou assistindo a filmes ou séries de época ou relacionados aos conteúdos que está estudando. Contudo, lembre-se que isso não substitui o tempo de estudar e responder questões.

Mas claro, é importante manter as atividades de lazer não intelectuais, que também são aliadas no processo, como esportes, relacionamentos, sair com os amigos e família, seja lá qual for da sua preferência. Porém é importante evitar atividades de lazer que tirarão totalmente a sua energia e disposição para o dia seguinte, com uma ressaca daquelas, por exemplo.

Passo 13. Estude

Nenhum dos 12 passos anteriores terá algum resultado caso você não estude. Por isso, estude o máximo de tempo que for possível e produtivo para você. Procure, respeitar o seu cronograma, cumprindo o horário destinado para estudar para o vestibular, sem distrações ou pausas excessivas. Busque avançar no conteúdo com afinco e confiança, assim como tenha confiança no seu potencial. Entenda ainda que este é um objetivo individual seu, e que não necessariamente as pessoas vão ajudá-lo.
Não existe uma fórmula mágica de como estudar para o Enem, mas sim um planejamento, organização e execução das tarefas diárias.

estudar para o vestibular



Fique atento a confiança nos estudos

Ter confiança na hora de estudar para o vestibular faz toda a diferença no alcance de bons resultado, mas o excesso ou a falta dela podem te atrapalhar.


Dica para caso você tenha falta de confiança: ajuda se você observar as pessoas que já passaram no vestibular que você deseja passar. É só lembrar delas, e você verá que não é impossível chegar lá, tanto é que muitas pessoas conseguem, todos os anos.

Dica para caso você tenha excesso de confiança: Por mais que você sinta que está dominado, você precisa efetivar o seu planejamento com longas e produtivas horas de leitura de conteúdos, e listas de exercícios e provas. A dica 11, especialmente, pode ajudá-lo a ser mais realista.

O estudo para o Enem e a Inversão Existencial

A técnica da inversão existencial, ou invéxis, é uma técnica de planejamento de vida desde a juventude, fundamentada na Conscienciologia, na qual o jovem antecipa sua maturidade e realiza assistência precoce em sua existência.

A partir da inversão existencial, o jovem desenvolve métodos de estudo desde cedo, pois o estudo o ajuda a adquirir mais experiência nesta vida humana, mesmo tendo vivido ainda poucos anos.

Dessa maneira, o jovem inversor existencial, pode ter mais facilidade em se organizar quando chega este momento de estudo para o vestibular.

Na invéxis outro investimento do jovem é procurar manter todas as áreas de sua vida mais equilibradas possível: área afetiva, financeira, intelectual, assistencial, parapsíquica, entre outras. Logo, uma vida mais organizada proporciona maior liberdade para o jovem conseguir se dedicar mais aos estudos neste momento. É difícil manter a concentração nos estudos quando a pessoa tem muitas pendências no seu espaço mental.

Por isso, a técnica da inversão existencial também é uma estratégia bem interessante neste momento de vida, no qual o jovem está se preparando para prestar vestibular. Para saber mais sobre a invéxis, veja nosso texto sobre Invexologia.

Confira mais dicas de autorganização no canal da ASSINVÉXIS no Youtube.

E aí, o que achou das nossas dicas? Conta para a gente nos comentários! 🙂