Você já identificou algum fenômeno parapsíquico que aconteceu com você? Saiba neste texto quais são os fenômenos parapsíquicos e como tirar o melhor proveito deles em seu dia a dia.  

O Parapsiquismo no dia a dia

A partir do estudo e vivência do paradigma consciencial, torna-se mais fácil a percepção de fenômeno parapsíquico ou vivências parapsíquicas, que vão além da interpretação dos cinco sentidos: olfato, audição, paladar, visão e tato. 

No entanto, a experimentação de fenômenos parapsíquicos não é restrita apenas a pesquisadores da área.

Em nosso dia a dia, nas atividades profissionais, durante compromissos sociais e até mesmo no trânsito, é possível perceber e vivenciar estes fenômenos parapsíquicos. O maior desafio é aprender a tirar proveito destes fenômenos para a prática da assistência.

O estudo e vivência sadia do parapsiquismo pode favorecer a qualidade de vida e o desenvolvimento de uma vida mais saudável, a partir da identificação dos processos energéticos patológicos diariamente com o aprimoramento das sinaléticas pessoais. 

Para melhor aprofundamento na temática do parapsiquismo, é preciso aperfeiçoamento teórico para sustentar o processo de renovação pessoal através de recins (reciclagens intraconscienciais; mudanças para melhor) e também para qualificar a autoconfiança quanto a autoexperimentação lúcida dos fenômenos parapsíquicos. Lembrando sempre que, muito além de ficar apenas na teoria, para melhor compreensão da realidade parapsíquica, o aconselhável é a prática lúcida. 

Em alguns casos, o acesso às informações do Paradigma Consciencial podem trazer insegurança e medo, por conta das possíveis mudanças e do aumento de responsabilidade sobre si e dos outros. Assim, vale reforçar os benefícios e importância da compreensão dos fenômenos parapsíquicos, mas para isso, primeiramente vamos compreender o que é parapsiquismo. 

Afinal, o que é parapsiquismo?

Fonte: Freepik

O parapsiquismo pode ser definido como a condição da pessoa ser capaz de vivenciar, experimentar parapercepções além dos sentidos do corpo físico. 

Um dos sinônimos de parapsiquismo é o processo de sensibilidade parapsíquica e também parafenômenos

Vale lembrar que esta condição é comum a todas as pessoas, independente da formação escolar, nível socioeconômico ou outras variáveis sociais. O aprimoramento da autoexperimentação destes fenômenos pode ser feito de forma livre de qualquer conotação religiosa ou iniciações místicas. 

Pela Conscienciologia, o desenvolvimento do parapsiquismo possibilita uma melhor compreensão da consciência de forma integral. Sugere-se também, que a própria pessoa, através de sua vontade e intenção qualificada, possa produzir seus parafenômenos, visando a interassistência grupal.

“Os amparadores só irão impulsionar o desenvolvimento do parapsiquismo se houver propósitos pró-evolutivos bem definidos.” (OLIVEIRA, 2002).

A identificação do parapsiquismo pode se dar através da vivência de fenômeno parapsíquico, que pode ocorrer nos mais diversos ambientes, ou a partir do contato com determinadas pessoas durante o dia a dia.

O que é fenômeno parapsíquico?

O fenômeno parapsíquico pode ser compreendido como um fenômeno que transcende as leis da natureza ou a base de conhecimentos estabelecida pela ciência materialista atual.

No entanto, apesar de não serem amplamente estudados pelas ciências convencionais, não significa que não experimentamos estes fenômenos diariamente em nossa vida cotidiana. 

A partir do estudo e aprofundamento do livro Projeciologia, é possível estudar 54 fenômenos parapsíquicos correlatos à ciência da Projeciologia. No livro, foram divididos nas seguintes categorias: 

  1. Fenômeno Projetivo Subjetivo
  2. Fenômeno Projetivo Ambivalente

Fenômeno Projetivo Subjetivo

Por definição, entende-se os fenômenos projetivos subjetivos como a ocorrência parapsíquica ligada à Projeciologia, que acontece mais dentro da consciência e com os veículos de manifestação do projetor parcial ou completamente projetados, sendo secundária a participação do meio externo.

Ocorrem, além de outros, 22 fenômenos principais:

01. Autobilocação consciencial.

02. Autoscopia interna.

03. Autoscopia externa.

04. Autotelecinesia.

05. Catalepsia projetiva extrafísica benigna.

06. Catalepsia projetiva física benigna.

07. Clarividência extrafísica.

08. Consciência cósmica (cosmoconsciência).

09. Consciência dupla pré-projetiva, projetiva e pós-projetiva.

10. Dejaísmo projetivo.

11. Descoincidência vígil.

12. Experiência da quase-morte (EQM): projeção antefinal.

13. Experiência da quase-morte (EQM): projeção ressuscitadora.

14. Intuição extrafísica.

15. Precognição extrafísica.

16. Projeção dupla.

17. Psicometria extrafísica.

18. Repercussões extrafísicas.

19. Repercussões físicas.

20. Retrocognição extrafísica.

21. Visão dupla extrafísica.

22. Visão panorâmica projetiva

Cada um destes fenômenos poderão ser aprofundados no livro Projeciologia, que está disponível gratuitamente no link: https://editares.org.br/livro/projeciologia-10a-edicao/

Fenômeno Projetivo Ambivalente

Já os fenômenos projetivos ambivalentes trata-se da ocorrência parapsíquica, unida à Projeciologia, que acontece dentro da consciência projetada, ou não, porém com reflexos importantes fora desta mesma consciência ou seu microuniverso consciencial.

Podem ocorrer 32 fenômenos parapsíquicos relacionados, seja no estado da vigília física ordinária ou projetada em algum ambiente extrafísico:

01. Aparição do projetor projetado a seres intrafísicos.

02. Autodessoma cardíaca e umbilical.

03. Autopsicofonia.

04. Autotransfiguração extrafísica.

05. Bilocação física da pessoa do projetor vista por outros.

06. Clarividência viajora.

07. Criação de morfopensenes (formas-pensamento).

08. Ectoplasmia projetiva.

09. Elongação extrafísica.

10. Estado de animação suspensa.

11. Exteriorização da motricidade.

12. Exteriorização da sensibilidade.

13. Falsa chegada.

14. Heteroscopia projetiva.

15. Meia-materialização.

16. Multilocação física.

17. Parapirogenia projetiva.

18. Passes energéticos extrafísicos (exteriorizações) transmitidos pelo projetor projetado, inclusive a exteriorização a três ou a tríplice energização.

19. Pneumatofonia projetiva.

20. Poltergeist projetivo.

21. Projeção do adeus.

22. Projeção do duplo de animal subumano detectada por uma conscin.

23. Projeção possessiva.

24. Projeção sonora.

25. Psicofonia projetiva extrafísica.

26. Psicofonia projetiva humana.

27. Psicografia projetiva.

28. Raps projetivos.

29. Telecinesia extrafísica.

30. Telepatia extrafísica.

31. Parateleportação humana.

32. Zoantropia.

Novamente, cada um destes fenômenos poderão ser aprofundados no livro citado anteriormente.

Muito além de apenas compreender os fenômenos parapsíquicos que podem ocorrer conosco diariamente, entender a relação histórica da Projeciologia no decorrer na humanidade traz maior lucidez e ampliação da visão sobre a desmistificação do parapsiquismo. 

Portanto, abaixo falaremos sobre os processos históricos da Projeciologia.

O processo histórico da Projeciologia

Dentro do histórico da Projeciologia, compreende-se que a experiência da consciência fora do corpo humano constitui fenômeno antigo e universal, de todas as épocas, raças e povos.

Desde o início da humanidade, é possível encontrar as primeiras narrativas a respeito do parapsiquismo. 

A partir do médico e pesquisador Waldo Vieira, é possível compreender a história da Projeciologia através de 4 períodos distintos, sendo eles:

1. O período antigo.

2. O período esotérico.

3. O período exotérico.

4. O período laboratorial.

O período antigo

Este período trata-se da antiguidade: os povos primitivos da História da Humanidade. Neste primeiro período, abrange-se para as projeções conscienciais lúcidas espontâneas e provocadas, que foram registradas através da mitologia e permanecendo ainda hoje no folclore das nações. 

Iniciando-se com a própria humanidade e terminando no fim do Século XIV.

O fenômeno parapsíquico da projeção era escondido sob o nome de “iniciações”, sendo restrita aos templos. Havia nesta época, grande preconceito para quem produzia a experiência de projeção fora do corpo, sendo rotulado de demente ou até mesmo acusado de feitiçaria.

O período esotérico da Projeciologia

Esoterismo pode ser definido como doutrina antiga que preconizava reservar-se o ensinamento da verdade a um número restrito e fechado de pessoas escolhidas, através de iniciações secretas.

Ocorreu do Século XV até o Século XIX.

Nesta fase, o tema da projeção consciencial lúcida era mantido escondido, criminosamente vedado ao grande público.

O período exotérico da Projeciologia

O exoterismo trata-se da doutrina mais recente que preconiza a transmissão dos ensinamentos da verdade diretamente ao grande público sem restrição. 

Neste período histórico, algumas personalidades e suas obras chamam atenção, como:

1. Vicent Newton Turvey (1873-1912), com projeções conscientes constatadas publicamente na Inglaterra.

2. Prescott Farnsworth Hall, em 1916, nos Estados Unidos da América.

3. Hugh Callaway (1886-1949), com a publicação de sua experiência sob pseudônimo de Oliver Fox, na Inglaterra, em 1920.

4. Johannes E. Hohlemberg, que informou seus experimentos projetivos pessoais no Primeiro Congresso Internacional de Pesquisas Psíquicas, em Copenhague, Dinamarca, em 1921. 

5. Sylvan Joseph Muldoon (1903-1971), em 1929 nos Estados Unidos da América.

6. Marcel Louis Fohan (“Yram”), com seu livro publicado na França.

7. Robert Crookall, com seus trabalhos em 1960 a 1965, na Inglaterra. 

Esta fase foi caracterizada pela abertura do relativo conhecimento do fenômeno da projeção consciente ao grande público, desmistificando o assunto e utilizando-se do termo “projeção astral”.

O período Laboratorial da Projeciologia

Por definição, compreende-se a experimentação laboratorial como:

“método científico que consiste em observar um fenômeno natural sob condições determinadas que permitem aumentar o conhecimento que se tenha das manifestações ou leis que regem esse fenômeno.” (VIEIRA, 2009).

Este é o quarto e último período histórico da Projeciologia, foi iniciado por Charles Theodore Tart (1937-), em 1966 nos Estados Unidos da América. Realizando experiências laboratoriais com a jovem projetora intitulada Miss Z.

Nessa fase, a projeção astral foi renomeada para experiência fora do corpo humano, ou projeção da consciência para fora do corpo físico. 

Houve maior intensificação das pesquisas estatísticas de opinião pública sobre o assunto e fenômenos parapsíquicos relacionados. 

Como o inversor existencial pode melhor aproveitar um fenômeno parapsíquico?

Por definição, a Inversão Existencial é:

“A técnica de planejamento máximo da vida humana, fundamentada na Conscienciologia, aplicada desde a juventude, objetivando o cumprimento da programação existencial, o exercício precoce da assistência e evolução”. (Nonato et al., 2011, p. 22).

Desde a juventude humana o aplicante da técnica evolutiva visa aproveitar evolutivamente, as experiências humanas e vivências parapsíquicas. Muito além de apenas ter um fenômeno parapsíquico, trata-se da utilização desta ferramenta no contexto assistencial. Afinal, o objetivo da aplicação da invéxis é conseguir exercer de maneira precoce a interassistência e materialização do Curso Intermissivo no intrafísico.

Algumas dicas e sugestões para o Inversor Existencial que busca otimizar a experiência de fenômenos parapsíquicos para qualificação assistencial.

Sempre reveja sua intencionalidade

Busque estar atento sobre suas reais intenções e desejos ao desenvolver seu parapsiquismo. O que você de fato espera com isso? Sua intenção é qualificada e assistencial para outras pessoas e grupos?

Estabeleça metas compatíveis com seu timing atual

Se você busca desenvolver e vivenciar fenômenos parapsíquicos, lembre-se sempre de estabelecer metas que estão de acordo com sua rotina e timing de vida. 

Aplique técnicas para desenvolver seu parapsiquismo

Ainda sobre o livro Projeciologia, o mesmo descreve diversas técnicas, passíveis de serem aplicadas por qualquer pessoa, a fim de desenvolver o parapsiquismo. 

Você pode estudar sobre outras técnicas através do link: https://assinvexis.org/artigos/5-tecnicas-projetivas/.

Registre suas experiências parapsíquicas diariamente

O registro de experiências parapsíquicas diárias irá auxiliar o inversor a manter organizado suas extrapolações e sincronicidades cotidianas, material este que pode passar despercebido para quem não registra suas atividades. Posteriormente, este material também poderá ser usado na escrita de artigos ou verbetes, assim como fortalecerá a autoestima e autoconfiança para aquele que visa desenvolver seu parapsiquismo de forma cosmoética.

Receba as novidades sobre inversão existencial em primeira mão!

Benefícios do desenvolvimento da Inteligência Parapsíquica para o inversor existencial

Por definição, a inteligência parapsíquica é: “a capacidade de a conscin, homem ou mulher, vivenciar os parafenômenos, perceber e interpretar as realidades multidimensionais, relacionadas a si ou a outrem, de maneira lúcida, cosmoética e universalista.” (SILVA, 2017).

Para o aplicante da técnica da invéxis, o essencial dentro do desenvolvimento do parapsiquismo é também aperfeiçoar a própria inteligência neste contexto. Ou seja, saber interpretar, identificar, questionar, verificar e experimentar de maneira lúcida, cosmoética, universalista e assertiva os fenômenos parapsíquicos.

Alguns benefícios podem ser citados, como:

  1. Assistencialidade: O aprimoramento da capacidade de realizar rapport assistencial ao sentir e compreender com profundidade os pensamentos, sentimentos e energias das consciências intrafísicas e extrafísicas assistidas.
  2. Autoconhecimento: A ampliação da compreensão do próprio microuniverso consciencial. Como obter informações sobre afinidades seriexológicas, traços-forças e outros.
  3. Autoconscientização multidimensional: A partir do aprofundamento no parapsiquismo, é possível eliminar gradativamente a tanatofobia e outras fobias dispensáveis no processo evolutivo.
  4. Recuperação de Cons: Pode-se ampliar a captação de informações magnas obtidas em seu curso intermissivo.

Nota-se que os benefícios obtidos a partir do desenvolvimento da inteligência parapsíquica podem ser diferentes e adaptados a partir da história de vida pessoal de cada consciência. Além disso, vale reforçar o Princípio da Descrença após a leitura deste texto: Não acredite em nada, nem mesmo no que foi comunicado neste texto, tenha suas experiências pessoais.

Bibliografia Consultada:

  1. NONATO, Alexandre; et al.; Inversão Existencial: Autoconhecimento, Assistência e Evolução desde a Juventude; br.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2011.
  2. OLIVEIRA, Mário dos Santos. Desenvolvimento do Parapsiquismo. Revista Conscientia 2002. 
  3. SILVA, Rômulo. Inteligência Parapsíquica; verbete; In Vieira, Waldo; Org.; Enciclopédia da Conscienciologia.
  4. VI­EI­RA, Wal­do; Pro­je­ci­o­lo­gia: Pa­no­ra­ma das Ex­pe­ri­ên­ci­as da Cons­ci­ência Fora do Cor­po Hu­ma­no; 10a Ed. Ver. e aum.; As­so­ci­a­ção In­ter­naci­onal Edi­ta­res; Foz do Igua­çu, PR; 2009.