Conheça aqui sobre o grupo de pesquisa da Consciência, composto apenas por jovens.

A invéxis, ou inversão existencial, é a técnica de planejamento máximo da vida humana, baseada na Conscienciologia e Projeciologia. Sua aplicação é iniciada desde a juventude, antes dos 26 anos, e tem como objetivo o cumprimento da programação existencial, o exercício precoce da assistência e a evolução.

A Invexologia é a ciência voltada ao estudo, pesquisa e divulgação da técnica da invéxis. Ela pode ser desenvolvida por pesquisadores de maneira individual, que divulgam suas vivências com a técnica, ou de maneira grupal, por meio do Grinvex, ou grupo de inversores existenciais.

O que é o Grinvex

O Grinvex, ou grupo de inversores existenciais, é o grupo de pesquisa da inversão existencial, vinculada à ASSINVÉXIS, objetivando o aprofundamento na vivência da técnica da invéxis, a assistência entre seus integrantes e a publicação de gestações conscienciais – artigos, cursos, livros – ligados à Invexologia.

Essencialmente, esse grupo de pesquisa visa auxiliar o inversor a vivenciar a invéxis através de pesquisas e debates sobre a técnica. A seguir, enumeramos os seguintes objetivos:

1. Pesquisa. A pesquisa em Invexologia é o objetivo primeiro do grinvex. Os demais, assim como os ganhos hauridos pelo inversor, são decorrentes desta prática.

2. Teática. Segundo objetivo, enquanto consequência direta do primeiro, é o aprofundamento teórico e prático (teático) da técnica da invéxis. Em síntese: a vivência da invéxis.

3. Interassistência. Objetiva-se a assistência horizontal entre os pares mediante a troca de experiências entre inversores existenciais.

4. Gesconografia. Como acabativa das pesquisas invexológicas, está a publicação de gestações conscienciais (gescons) sobre invexologia. Este, pode ser colocado como meta final de todo Grinvex.

Grupo de pesquisa em Invexologia

O que se pode fazer dentro de um grupo de pesquisa em invéxis?

Nesse grupo de pesquisa, uma série de atividades podem ser realizadas, a livre escolha do grupo e vale enfatizar: quem decide as atividades a serem realizadas é o próprio grinvex. Contudo, todas as atividades devem estar diretamente ligadas à Invexologia, de modo a caracterizarem o holopensene grupal de invéxis.

Não existe evolução sem desafios. Optar por atividades desafiadoras, capazes de tirar os integrantes da zona de conforto é intrínseco ao materpensene invexológico. Um grinvex pacato, a pasmaceira nas reuniões ou a mesmice indica a necessidade urgente de renovação grupal. Seguem alguns exemplos de atividades que podem ser realizadas:

1. Estudos. Leitura e debate da bibliografia básica sobre Invexologia: o livro Inversão Existencial e o 700 Experimentos da Conscienciologia.

2. Debate. Debates sobre as evitações e fundamentos técnicos da invéxis.

3. Seminários. Seminários internos de pesquisas invexológicas individuais.

4. Invexobalanço. Autocrítica semanal pautada nos fundamentos da invéxis.

5. Invexograma. Preenchimento do invexograma.

6. Maxiplanejamento. Oficinas de maxiplanejamento invexológico.

7. Cine-debate. Debate de filmografia invexológica.

8. Bibliodebate. Debate de livros relacionados à Invexologia.

9. Divulgação. Reuniões abertas, visando acolher novos candidatos à invéxis.

10. Teleconferências. Seminários online intergrinvexes.

11. Gesconografia. Campos de escrita individuais e/ou grupais.

12. Debates. Debates Abertos sobre Inversão Existencial.

13. Eventos. Organização de eventos da ASSINVÉXIS na cidade.

14. Simpósio. Organização do Simpósio do Grinvex (SIG).

Uma atividade que não pode ser realizado pelos grinvexes é o trabalho com as energias. Esta diretriz serve como profilaxia de assédios grupais, tais como semipossessões ou assimilações antipáticas.

Um grupo de pesquisa precisa demonstrar resultados. A gesconografia, ou a escrita de gescons, é prioridade de todo grinvex, pois funciona como chancela da teática invexológica grupal e, principalmente, como ampliação da interassistência, fim último do grinvex.

Mantenha-se informado!

Regras e Diretrizes do Grinvex

Visando a segurança nas pesquisas, o Grinvex tem estrutura de organização interna, bem como diretrizes institucionais, capazes de manter a ordem entre os objetivos do grupo e as formalidades necessárias.

1. Aplicar a técnica da invéxis

A aplicação da técnica da invéxis é o primeiro critério para ingresso em grinvex. Se o objetivo do grinvex é vivenciar e aplicar a invéxis por meio da convergência teática dos participantes, não faz sentido estar no grupo sem ser inversor.

2. Voluntariado Conscienciológico

Segundo critério para participação de grinvex é o voluntariado conscienciológico, na ASSINVÉXIS e em outras instituições conscienciocêntricas (ICs) quando necessário.

A filosofia básica da invéxis é a interassistência desde a juventude, não esperando a aposentadoria para tal. O voluntariado oportuniza ao jovem a vivência dessa experiência, dentro de ambiente intencionalmente organizado para isto.

Portanto, este critério visa auxiliar o inversor participante de grinvex a vivenciar o principal da técnica da inversão existencial: a assistência.

3. Coordenação Grinvexológica

A coordenação é função administrativa presente em todos os grinvexes, essencial em sua organização interna, e sua atribuição essencial é garantir a coesão e o continuísmo das pesquisas grupais.

Também é responsável por aglutinar os inversores, bancar o grupo até que este funcione, mediante exemplarismo pessoal e conscientização de todos de suas responsabilidades.

É papel do coordenador manter comunicação constante com a Coordenação Geral dos Grinvexes (CGG), informando sobre a situação do grupo e atualizando-se quanto à ASSINVÉXIS.

Atualmente, o pré-requisito para seu exercício é ser docente de Conscienciologia ou estar em processo de formação, sendo necessário concluí-lo em até 6 meses.

4. Atas: manutenção histórica do grupo de pesquisa

Outra diretriz fundamental, presente desde a primeira reunião do Grinvex Rio em 1992, é o registro escrito das reuniões em atas.

As atas funcionam como registro histórico do grinvex. Este registro serve não só para posteriores pesquisas eventualmente feitas, como também para organização do grupo, registrando delegações de tarefas, planejamentos, deliberações.

Além disso, as atas são compartilhadas com outros grinvexes e com a CGG. Isto auxilia a CGG no acompanhamento das atividades grupais e inspiram outros grinvexes a realizarem atividades semelhantes as registradas em ata.

5. Planejamento do Grupo de Pesquisa Grinvex

O planejamento grinvexológico é a planificação ou determinação de conjunto de procedimentos, feito pelo grupo de inversores existenciais, visando cumprir determinada ação, tarefa ou objetivo grupal, de materpensene invexológico, considerando-se aspectos físicos e temporais.

O planejamento, seja de curto, médio ou longo prazo começa com um objetivo central, uma meta magna, capaz de motivar todos os integrantes em fluxo de atividades coesas, dispostas em grande quantidade de reuniões.

Este objetivo é disposto em atividades e metas menores, podendo ser organizado em cronograma, dentro de um calendário. Para tanto, são elaboradas pautas em todas as reuniões, alinhadas com o planejamento geral no grupo, consistindo no planejamento de curtíssimo prazo.

Este planejamento é condição imprescindível para o cumprimento das metas e consequente amadurecimento grupal. Sem ele, as atividades grupais ficam desconexas, sem sentido, levando à desmotivação dos integrantes.

6. Coordenação Geral dos Grinvexes

A Coordenação Geral dos Grinvexes (CGG) é a função administrativa, realizada por voluntário da ASSINVÉXIS, relacionada ao departamento técnico científico da instituição, delegada a orientar e acompanhar as atividades e os integrantes dos diversos grinvexes existentes, resolvendo conflitos e fazendo esclarecimento aos grupos quanto à Invexologia.

A CGG caracteriza-se como arrimo ou porto seguro dos grinvexes, tal qual ponto de referência para eventuais dúvidas e orientação quanto à resolução de problemas diversos, sejam nos âmbitos de pesquisa ou interpessoais.

Nem sempre é fácil para um grinvex manter-se conectado à sede da ASSINVÉXIS em Foz do Iguaçu ou à rede entre grinvexes composta pelos diversos grupos espalhados pelo Brasil. O contato frequente com a CGG facilita a manutenção.

É comum o relato de motivação e inspiração para com as atividades de pesquisa em Invexologia após haver reuniões com a CGG. Por hipótese, isso se deve a conexão com a rede entre grinvexes que o contato com a CGG promove.

Grinvex

Grupo de pesquisa em invéxis e Conscienciologia

O grupo de pesquisa de inversores existenciais atua como incubadora de líderes e contribui para a consecução e renovação da Conscienciologia. O grinvex funciona como pedra fundamental, ou célula embrionária, da grupalidade evolutiva.

Já na primeira reunião do Grinvex Rio em 1992, como atividade foi proposto o Projeto Painel, isto é, painel de madeira exposto na entrada do IIPC (na época ainda IIP) onde seriam afixados textos elaborados pelos integrantes do grupo. O primeiro tema de pesquisa foi “Artefatos do Saber”, apresentado posteriormente no I Simpósio de Projeciologia.

Deste fato infere-se a relação, ainda que de maneira indireta, do grinvex com a Cognópolis, pois este trabalho preconizava as estruturas da Holoteca e do Holociclo, sediadas no Centro de Altos Estudos da Conscienciologia, em Foz do Iguaçu.

Além de professores, coordenadores e epicons, o Grinvex gerou frutos bastante diversos, muitos deles atuantes até os dias atuais, destacando-se:

1. CINVÉXIS

Proposição do Congresso Internacional de Inversão Existencial em 1998, pelo Grinvex Florianópolis, hoje a principal atividade de aglutinação de inversores.

2. SIG

O Simpósio do Grinvex, proposto em 1997 pelo Grinvex São Paulo, atividade ainda hoje organizada pelos grinvexes também com a função de aglutinar inversores.

3. Gescon

Proposição da revista Gestações Conscienciais, em 1994 pelo Grinvex Rio de Janeiro, de modo a organizar as gescons escritas nos grinvexes, hoje principal publicação de Invexologia.

4. Debates

Proposição dos Debates Abertos sobre Inversão Existencial, em 2014 pelo Grinvex São Paulo, hoje parte da grade curricular da ASSINVÉXIS.

5. Jornal

Publicação dos Jornais da Invéxis, sendo a primeira edição em 1994, feito pelo Grinvex São Paulo em parceria com o Grinvex Ribeirão Preto.

6. ASSINVÉXS

Proposição da ASSINVÉXIS, anteriormente enquanto departamento do IIPC, chamado de Assessoria ao Inversor Existencial, em 1999, transformado em Instituição Conscienciocêntrica em 2004.

7. Biocam

Caminhada Bioenergética, inicialmente com o nome de Caminhada Ecológica, feito pelo Grinvex Rio de Janeiro, em 1992, com a finalidade de arrecadar fundos, hoje curso introdutório organizado pela ASSINVÉXIS.

Desta listagem se destacam o Simpósio do Grinvex (SIG) e o Congresso Internacional de Inversão Existencial (CINVÉXIS), hoje principais ambientes de publicação das pesquisas invexológicas. A participação e o compartilhamento de pesquisas nesses ambientes tornam possível a identificação da força da rede de grinvexes.

Tal qual efeito halo da inversão existencial, essa aglutinação de inversores nesses eventos amplia a recuperação de unidades de lucidez (cons) e a motivação proexológica dos participantes, gerando marcos nas proéxis pessoais. É comum o enfrentamento de posicionamentos críticos nesses eventos: opção pela invéxis, mudança de cidade, assunção de lideranças.

Como participar desse grupo de pesquisa?

O primeiro passo para participar de um grinvex já existente é atender aos critérios básicos: ser inversor existencial e voluntário da Conscienciologia. Caso você não atenda a um destes dois critérios, você pode participar de até 3 reuniões para conhecer o grupo.

Em um primeiro momento, você pode ser voluntário de qualquer instituição Conscienciocêntrica. Após um período de seis meses, também é necessário fazer a entrevista de voluntariado da ASSINVÉXIS.

Se você quer abrir um grinvex, o primeiro passo, depois de atender aos critérios, é entrar em contato com a Coordenação Geral dos Grinvexes, por meio do e-mail: [email protected]. Depois disso, garanta que há pelo menos duas pessoas que atendam aos critérios.

Dentre estas duas pessoas, uma delas deverá ser a coordenadora do grupo. Lembrando que esta coordenadora precisa ser docente de Conscienciologia ou estar em processo de formação. A partir de 5 integrantes, a coordenação pode ser exercida por duas pessoas.

Caso você, jovem que está lendo este texto, aplica a técnica da invéxis e tem interesse em abrir um Grinvex em sua cidade, entre em contato com a ASSINVÉXIS e nós agendaremos uma entrevista.

Se você se considera intermissivista e tem interesse na invéxis, o Grinvex pode te ajudar a cumprir os compromissos que você assumiu antes de nascer. Além disso, ajuda a contribuir para a renovação da Conscienciologia propondo atividades de vanguarda.

Leia também:

1. Escolha profissional madura: universidade e proéxis

2. Qual seu propósito de vida?

3. Ponto de partida da gescon: qual tema de livro devo escrever?

Referências Bibiográficas

1. Ferraro, Cristiane; Histórico Invexológico Grupal; Artigo; VIII Congresso Internacional de Inversão Existencial; Foz do Iguaçu, PR; Conscientia; Revista; páginas 135 a 148.

2. Machado, Camila; Manual dos Grinvexes: Grupo de Inversores Existenciais; Documento Institucional; páginas 2 a 12.

3. Lourenço, Ibis; Grinvexologia; verbete; In: Vieira, Waldo; Org.

4. Moreno, Igor; Coordenação Grinvexológica; Artigo; XXVI Simpósio do Grinvex; São Paulo, SP; Gestações Conscienciais; Revista; Vol. 6; páginas 83 a 103.