Você já pensou como seria sua vida se reconhecesse seus talentos? Como identificar os talentos?

Os talentos evolutivos são aqueles que se destacam no jovem e são utilizados por algum propósito para sua vida e também para benefícios aos demais. São desenvolvidos quando a pessoa sai de si e tem uma conduta mais altruísta.

 A identificação dos talentos desde a juventude é uma escolha inteligente para que o jovem consiga desenvolver sua vida com mais discernimento, por ser embasada nas suas qualidades, ou talentos evolutivos, assim se tornando uma pessoa melhor para outras pessoas e para si mesmo. 

Identificar os trafores ou talentos evolutivos e assumi-los é uma decisão sábia, que mostra um nível de maturidade e inteligência evolutiva. O trafor é um neologismo da ciência Conscienciologia, que significa traço-força.

Identificação dos talentos pessoais
Fonte: Pixabay

Inteligência evolutiva é aquela que define o autodiscernimento do indivíduo quanto à evolução racional. Quando identificamos nossos talentos evolutivos temos mais lucidez, tendo que escolher em assumi-los ou não

Veja abaixo 12 dicas e técnicas para a identificação dos talentos evolutivos ou trafores na juventude:

—> Leia também: Autoconhecimento na juventude: indo além do simplismo

1. Afinidade

Observe as coisas positivas que atraem sua atenção, que você gosta de fazer, tem prazer e satisfação. Possivelmente por trás das manifestações pode haver alguns  talentos evolutivos.

2. Facilidade

Veja e analise o que tem facilidade para aprender, como por exemplo o jovem que tem facilidade de ensinar (didátismo) ou o jovem que adquire o conhecimento rapidamente quando algum professor explica (intelectualidade, espertes).

3. Resultados

Identifique atividades em que você tem bons resultados.

4. Espontaneidade

Examine as suas manifestações positivas naturais e espontâneas.

Para descobrir os talentos é preciso esforço e motivação
Fonte: Pixabay

5. Motivação

Observe os empreendimentos que o deixe motivado. O que motiva você a realizar essas atividades?

6. Infância

Analise sua infância e veja os traços positivos que manifestava intuitivamente, sem esses necessariamente terem sido influenciados pela família ou outros.

7. Experiências

Esteja aberto para novas experiências a fim de  explorar possíveis habilidades como, por exemplo, falar em público, escrever artigos, ministrar aulas. Talvez você seja um bom apresentador, escritor, pesquisador e nem saiba disso.

8. Dificuldade

Analise o traço positivo que atua, principalmente, quando você está com alguma dificuldade e este te faz levantar e seguir em frente.

É preciso pesquisar e olhar dentro de si para descobrir os talentos pessoais
Fonte: Pixabay

 9. Autopesquisa

Se conheça melhor através do método da autopesquisa. A autopesquisa é a pesquisa de si mesmo, analisando traços pessoais, qualidades e estruturas de sua própria personalidade, objetivando acelerar o autoconhecimento e a evolução, para seu próprio bem e dos demais.

Mantenha-se informado!

Vamos fazer o seguinte exercício de três passos:

1. Pegue uma folha em branco e risque uma linha central, dividindo a folha em duas partes.

2. No lado esquerdo escreva qualidades; no direito, defeitos.

3. Por último, faça uma lista de todas as suas qualidades e seus defeitos.

Veja um exemplo de identificação das qualidades e defeitos na tabela abaixo, com o objetivo de promover o autoconhecimento básico:

QualidadesDefeitos
CuriosidadeArrogância
SinceridadePreguiça
IntelectualidadePusilanimidade
ObjetividadeIrritabilidade
PragmatismoOrgulho
VivacidadeIngenuidade

10. Feedbacks

Peça uma lista de qualidades e defeitos para pessoas próximas de você, como familiares, amigos, pessoas que você tenha bastante convivência. Você também pode pedir para as pessoas que fizeram a lista, explicar em quais contextos você manifestou tal qualidade (trafor) ou defeito (trafar). Muitas vezes, manifestamos trafores e não percebemos. Para analisar os feedbacks, é importante se questionar e utilizar o senso crítico. 

11. Valores

A identificação dos valores pode ser um bom caminho para identificar os talentos evolutivos ou trafores. Por exemplo, se você valoriza estudar, por trás deste valor pode haver trafores que o compõem, como a intelectualidade, determinação e responsabilidade. Para identificar os valores é preciso reflexão. Eis abaixo, 5 perguntas para refletir e identificar os valores: 

1. O que me motiva? 

2. O que me faz agir?

3. O que me faz parar?

4. O que faz sentido para mim? 

5. O que eu não troco?

12. Assistência

Uma das formas de manifestar os trafores é fazendo assistência, ajudar outras pessoas, seja escrevendo um artigo, auxiliando a família nas tarefas de casa ou um colega com dificuldade nas matérias escolares. Essas ações, além de ajudarem você a manifestar seus trafores, é uma oportunidade de qualificá-los. Ajudar as pessoas ao seu redor pode ser um bom caminho para a identificação dos trafores. Há uma técnica que auxilia na diminuição do ego e ampliação da assistência embasadas no autoposicionamento. Por exemplo, se alguma pessoa pede ajuda e você está disponível, ajude mesmo estando com preguiça. 

Este movimento faz que você potencialize a assistência no dia a dia, criando o hábito de ajudar as pessoas. Sendo um bom meio de identificar os talentos evolutivos, por exemplo, uma pessoa que tem vontade e satisfação em ajudar alguém, pode ter traços envolvidos, como a generosidade.

Como reconhecer seus talentos

Com o reconhecimento dos trafores, a moça ou rapaz, começa a se valorizar, colocando-os em prática. Por exemplo, a pessoa que é tímida e pensa demais sobre o que as pessoas irão pensar dela, consegue, com a identificação dos trafores superar  a timidez. O(A) tímido(a)quando identifica seus talentos evolutivos que começa a refletir sobre o porquê da timidez e como superar. Em muitos casos a timidez é um travão que impede o jovem de manifestar seus talentos evolutivos, tendo com consequência o não recebimento de feedbacks das  pessoas. Identificando os trafores, o jovem pode sentir coerente, satisfeito e autosuficiente, pois começa a ver quem realmente é. 

As pessoas são muito influenciadas pelo meio em que vive, pelas pessoas na qual convive. Se ele não tem claro quem realmente é, será mais vulnerável a ser influenciado pela sociedade em geral.

—> Leia também: Talentos Pessoais: Autoconhecimento desde a Juventude

Outro aspecto, é que, muitas vezes, banalizamos nossos talentos evolutivos,sendo que estes são  uma ferramenta muito poderosa em nossas mãos, mas nem sempre utilizando e valorizando. Quando fazemos muito bem determinada coisa, achamos comuns, assim, em muitos casos, não identificamos e não qualificamos este determinado talento.

Veja abaixo 5 possíveis causas para a desvalorização e banalização dos talentos evolutivos:

  1. Acriticidade. A ausência de questionamentos sobre si mesmo.
  2. Espontaneidade. a naturalidade na expressão dos talentos evolutivos levando a pessoa considerá-los comuns a todos.
  3. Exposição. o medo de se expor,não conhecendo os próprios talentos evolutivos e nem recebendo feedbacks para a própria qualificação.
  4. Responsabilidade. Fuga das responsabilidades pessoais.
  5. Reflexão.  falta de reflexão sobre o propósito de vida.

Muitos jovens identificam os trafores, mas mesmo assim os ignoram  por, as vezes, não quererem assumir maiores compromissos, ter mais responsabilidade ou devido ter baixa autoestima, focando mais nos traços fardos (trafar), em coisas que tem dificuldade. Dessa forma,acabam não valorizando suas potencialidades pessoais, Podemos fazer uma analogia  do impacto do reconhecimento e da assunção dos nossos trafores com uma flor. Se temos uma flor e deixamos ela de lado, ela vai acabar ficando murcha com o tempo. O mesmo acontece com os trafores, quando não olhamos pra eles, irão ficando sem aplicação e vão se enfraquecendo. Com o reconhecimento e assunção dos trafores podemos fortalecê-los através do seu uso prático. Isso significa que quanto mais cedo identificarmos os nossos talentos evolutivos, mais crescemos e ganhamos maturidade, nos tornando protagonistas de nossas própria vida de modo consciente. Muitas vezes não sabemos nossos talentos evolutivos, desvalorizando-o e não utilizando de modo positivo. Tornando o traço força ocioso, assim como a flor murcha que não recebe atenção e acaba perdendo a sua vitalidade.

Como identificar os talentos a partir da técnica da invéxis

Além das dicas e técnicas apresentadas, o jovem pode se apoiar em técnicas mais avançadas para identificar seus talentos evolutivos,  a técnica da  Inversão Existencial que permite um alinhamento da vida em função do propósito de vida pessoal.

 A técnica da inversão existencial auxilia a desenvolver os talentos pessoais, ao investir na evolução e iniciar a assistência desde a juventude.

A inversão existencial é a técnica de otimização máxima da vida humana, fundamentada na Conscienciologia, aplicada desde a juventude, objetivando o exercício precoce do auxílio aos outros e o cumprimento da programação existencial (proéxis), também conhecido como propósito ou missão de vida.

A técnica da invéxis objetiva antecipar várias manifestações, como a assistência, intelectualidade, maturidade, as apresentações em público, escritas assistenciais, etc. Então, com várias antecipações, a moça ou rapaz, começa a se observar e a identificar os talentos evolutivos precocemente, tendo um bom engajamento com os desafios da vida.

Identificando os talentos evolutivos, o jovem começa a ficar satisfeito consigo mesmo. Assim, quando identifica seus trafores e coloca-os em prática ele presta auto e heteroassistência. A autoassistência é aquela assistência ou ajuda feita para si mesmo, quando se conhece melhor, mapea seus pontos fortes e fracos, e tem como efeito as superações dos trafares (traços fardos). Já a heteroassistência é a assistência prestada ao outro, por exemplo, escrita de artigos, apresentações publicas, voluntariado, dentre outros.

A técnica da invéxis, no contexto de identificação dos talentos evolutivos, possibilita o jovem conseguir utilizar seus talentos evolutivos para superar suas dificuldades ou defeitos, tendo vários ganhos positivos para si mesmo, como uma predisposição para a assistência, aumento da maturidade, intelectualidade, se tornando uma pessoa melhor.

Com a identificação dos talentos evolutivos, o jovem começará a manifestar mais seus trafores, tendo em vista a diminuição dos trafares. A autaceitação é um dos primeiros passos para ter mais força nas suas manifestações, como admitir os erros, reconhecer os traços, seja eles os trafores (traços-forças), trafares (traços-fardos) e trafais(traços-faltantes).

E você, já identificou os talentos evolutivos utilizando-os a favor de todos?

Referências bibliográficas:

1. Lopes, Tatiana; Identificação do Trafor; verbete; In: Vieira, Waldo; Org.; Enciclopédia da Conscienciologia; apres. Coordenação da ENCYCLOSSAPIENS; revisores Equipe de Revisores da ENCYCLOSSAPIENS; 27 Vols.; 23.178 p.; Vol. 15; 1.112 citações; 11 cronologias; 33 E-mails; 206.055 enus.; 602 especialidades; 1 foto; glos. 4.580 termos (verbetes); 701 microbiografias; 270 tabs.; 702 verbetógrafos; 28 websites; 670 filmes; 54 videografias; 1.087 webgrafias; 13.896 refs.; 9ª Ed. rev. e aum.; Associação Internacional de Enciclopediologia Conscienciológica (ENCYCLOSSAPIENS); & Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2018; ISBN 978-85-8477-118-9; páginas 12.218 a 12.223.

2. Lopes, Tatiana; Banalização dos Autotrafores; verbete; In: Vieira, Waldo; Org.; Enciclopédia da Conscienciologia; apres. Coordenação da ENCYCLOSSAPIENS; revisores Equipe de Revisores da ENCYCLOSSAPIENS; 27 Vols.; 23.178 p.; Vol. 7; 1.112 citações; 11 cronologias; 33 E-mails; 206.055 enus.; 602 especialidades; 1 foto; glos. 4.580 termos (verbetes); 701 microbiografias; 270 tabs.; 702 verbetógrafos; 28 websites; 670 filmes; 54 videografias; 1.087 webgrafias; 13.896 refs.; 9ª Ed. rev. e aum.; Associação Internacional de Enciclopediologia Conscienciológica (ENCYCLOSSAPIENS); & Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2018; ISBN 978-85-8477-118-9; páginas 4.499 a 4.504.

3. Palestra da ASSINVÉXIS: “Como desenvolver talentos evolutivos na juventude?” <https://www.youtube.com/watch?v=l9VvCOWML4&list=PLiyWmidSCMbnJzhToJasuAhdbt817g_3R&index=11