Você conhece a relação do militarismo com a técnica da invéxis? Neste artigo iremos abordar a carreira militar e suas consequências para o jovem.

O militarismo é a organização ou sistema político vinculado às Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica). Esse sistema tende a fortalecer as forças armadas e solucionar os conflitos internacionais pela guerra.

A carreira militar é buscada por muitos jovens no início da vida, em função de alguns motivos como estabilidade financeira, busca por disciplina, busca por treinamento físico, por porte de armas, dispensabilidade de curso superior, entre outros. A procura cresce nos períodos de crise financeira no país (V. O Estado de São Paulo; Crise faz dobrar a procura pelo serviço militar entre jovens em SP; 29.01.2017)

O militarismo é a organização ou sistema político vinculado às Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica).
Fonte: Pixabay

A Inversão Existencial, ou invéxis, é a técnica de planejamento máximo da vida humana, visando a consecução da proéxis, ou programação existencial. A invéxis é pautada na vivência do Paradigma Consciencial, e pauta-se na interassistencialidade desde a juventude.

A invéxis é uma técnica de viver, com o objetivo de evoluir e ter o maior aproveitamento da vida humana, através de um planejamento técnico. São fundamentos da técnica da invéxis: início antes dos 26 anos de idade, liberdade de ação, autocrítica, maxiplanejamento ou planejamento máximo da vida humana, assistência, reciclagens intraconscienciais ou mudanças íntimas, parapsiquismo, coerência, autorganização, carreira profissional, finanças, disciplina, autodidatismo, afetividade madura e aquisição ou antecipação da maturidade.

A técnica da invéxis permeia todos os setores da vida humana do inversor, ou aplicante da técnica. Por isso, a invexologia, ou especialidade da Conscienciologia para o estudo da invéxis, analisa criticamente os diversos âmbitos buscando tecnicamente as posturas ou condições mais otimizadas.

E qual a visão da invéxis sobre o militarismo?

Pela ótica da invexologia, o militarismo é incompatível com a aplicação da invéxis. Elencamos para você 5 argumentos para fundamentar essa afirmação.

Exploração do jovem pelo militarismo

O militarismo é uma das principais formas de exploração do jovem. Historicamente, muitos jovens perderam a vida, a saúde física ou psíquica, ou perderam a fase mais produtiva da vida em função do alistamento militar e das guerras e conflitos armados.

A técnica da invéxis busca a antecipação da maturidade, a recuperação de cons, ou unidades de lucidez, a ampliação da lucidez e desenvolvimento do autodiscernimento. Traz benefícios a si e aos outros.

Perda da autocrítica e forças armadas

É notório, há séculos, que ninguém de uniforme pode pensar ou pensenizar por si mesmo. O uniforme ou a farda dogmatiza e figura dentre os gravíssimos problemas do belicismo e do militarismo (estigma militar). Os uniformes escravizam. (VIEIRA, 2014).

O funcionamento das forças armadas é por quartelismo, submissão hierárquica e uso da força bruta e sistema de punições visando a obediência e a disciplina sem questionamento.

O soldado vira subserviente à instituição militar, perdendo a autocrítica e a liberdade pessoal.
Fonte: Freepik

A técnica da invéxis pressupõe reflexão, questionamento, crítica, autonomia intelectual, maturidade, autodidatismo, e pressupõe ir no contrafluxo das patologias sociais e culturais. O jovem aplicante da invéxis é exemplarista de renovação íntima para posturas mais sadias, e para isso é necessária isenção e liberdade de pensamento, refutação e expressão.

Despriorização da mentalsomaticidade

No estudo da Parafisiologia, o militar e o militarismo tendem a empregar prioritariamente o soma e consequentes manifestações, pondo em plano secundário o mentalsoma. Muitos jovens buscam a carreira militar por este motivo. Querem receber treinamento militar, e desenvolver a resistência física somática.

A invéxis visa a autorganização de uma vida útil com produtividade mentalsomática, para realizar assistência de esclarecimento a outras consciências. A técnica visa o cuidado com o soma, de modo equilibrado, para atingir longevidade e saúde, porém visando maior produtividade intelectual possível.

Belicismo e Invéxis

A técnica da invéxis é derivada do Paradigma Consciencial. Este paradigma, que é base da ciência Conscienciologia, tem como pilares o Universalismo e a Cosmoética. A Pacifismologia é um campo de estudo, e a visão é promover a paz e a harmonia entre todas as consciências, por meio das interrelações sadias e assistenciais.

Isso pressupõe a resolução de conflitos ou impasses sem absolutamente nenhum uso de armas, violência ou combate físico. Desse modo, invéxis quer dizer ampliação da pacificação íntima e do pacifismo, sendo incompatível com alianças a instituições belicistas.

A carreira militar é buscada por muitos jovens em função de estabilidade financeira, displina, treinamento físico, porte de armas, entre outros motivos.
Fonte: Pixabay

Assistência primária e instituição militar

A técnica da invéxis visa também a ampliação da interassistencialidade do inversor, desde a juventude, por meio da tarefa do esclarecimento, ou tares. A tares é mais antipática, pois visa resolver o problema na sua raiz, ou na origem, e visa a autonomia das outras consciências.

As instituições militares realizam assistência mais básica, da consolação, ou tacon, através de ações sociais, defesa dos direitos dos cidadãos, proteção de fronteiras, e acesso de recursos a lugares remotos. Estas formas de assistência podem ser positivas, porém consideradas mais primárias, não sendo o foco principal de assistência do intermissivista ou inversor. Há muitas formas e oportunidades de assistência na vida humana.

O que fazer se tenho afinidade com o Militarismo e a Invéxis?

Nós indicamos ao jovem que tem afinidade com a técnica da invéxis ou que admite a possibilidade de ter passado por curso intermissivo que reflita sobre os argumentos apresentados, buscando a máxima autocrítica.

Seria indicado também rastrear alguns possíveis traços que podem levar á inclinação pelo militarismo: belicismo, busca por poder, porão consciencial ainda ativo, agressividade, raiva, carência de atenção, busca por ascensão social, revolta, medo, fuga da intelectualidade ou dos estudos formais, predominância cerebelar (psicomotricidade) na manifestação. Nesse caso, indicamos a recin, ou reciclagem intraconsciencial destes traços patológicos, que podem estar presentes em qualquer intermissivista, e não a submissão a eles.

Você, leitor ou leitora, já formou a sua opinião sobre o militarismo? Deseja uma vida pautada na mentalsomaticidade ou na psicomotricidade?

Indicações de leitura:

Carreira Militar: quais os riscos dessa profissão?

Inteligência Evolutiva: 8 indicadores práticos

Florence Nightingale: Vida e Obra da enfermeira inglesa

Referências

1. NONATO, Alexandre; et al.. Inversão Existencial: Autoconhecimento, Assistência e Evolução desde a Juventude. Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2011.

2. PALHARES, Isabella. Crise faz dobrar procura pelo serviço militar entre jovens em SP. O Estado de São Paulo. Disponível em < https://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,crise-faz-dobrar-procura-pelo-servico-militar-entre-jovens-que-se-alistam-em-sp,70001645212>. Acesso em: 31/12/2019.

3. VIEIRA, Waldo. Dicionário de Argumentos da Conscienciologia. Associação Internacional Editares, Foz do Iguaçu, 2014. Página 462.

4. VIEIRA, Waldo. Homo sapiens pacificus. 3.ª Ed. Associação Internacional do Centro de Altos Estudos da Conscienciologia (CEAEC) & Associação Internacional Editares, Foz do Iguaçu, 2007. Página 201.