Você, leitor ou leitora, considera que vivencial qual paradigma?

O conceito de paradigma tem uma grande quantidade de acepções e significados. A palavra paradigma vem do grego paradeigma, ou padrão, exemplo, e de paradeikunai, ou comparar, demonstrar.

paradigma: pessoa segurando uma lente pela qual vê uma paisagem
Fonte: Pixabay

Entre os significados de paradigma, podemos exemplificar:

Paradigma na Sociedade

Padrão, modelo, exemplo, norma ou ideal a ser utilizado por um indivíduo, ou um grupo. Conjunto de premissas, conceitos, valores e práticas que constituem o modo de perceber a realidade para a comunidade que o compartilha.

A Mentalidade e o Paradigma

Conjunto integrado de crenças, sentimentos e atitudes envolvendo uma complexa orientação mental. Conjunto de experiências, crenças e valores que afetam o modo através do qual um indivíduo percebe a realidade e responde a essa percepção.

O Paradigma da Ciência

Sistema de referências para a abordagem de um determinado objeto de estudo. Modelo que serve de base para uma metodologia ou teoria, e que orienta o desenvolvimento das pesquisas.

Existem diversos paradigmas regendo a manifestação e percepção do indivíduo na vida humana. Por exemplo, existem paradigmas para o indivíduo se comportar, administrar uma empresa, exercer a sexualidade, entre outros. As noções de mundo dependem de qual paradigma nós vivenciamos no nosso dia a dia.

E o que é o Paradigma Consciencial?

O Paradigma Consciencial é a teoria líder da ciência Conscienciologia, fundamentado no estudo da própria consciência, e que embasa toda a ciência, o método, as pesquisas, as publicações e os experimentos.

Receba as principais novidades sobre inversão existencial

Para criar a ciência Conscienciologia, o pesquisador Waldo Vieira necessitou fundamentar um novo paradigma, pois o paradigma convencional, o Newtoniano-Cartesiano, não dispunha de ferramentas ou bases para o objeto ou método de estudos propostos.

Gostaria de entender melhor? Explicamos abaixo 8 pilares do Paradigma Consciencial:

Consciência

O Paradigma Consciencial considera como hipótese de pesquisa e trabalho a existência de uma realidade denominada consciência. A consciência é o nosso eu, self, alma, princípio inteligente, ego. Deste modo, cada um de nós é uma consciência.

Autopesquisa

Esse princípio embasa o modelo de pesquisa do Paradigma Consciencial como participativo. O próprio pesquisador é o próprio objeto de pesquisa, a partir da autoexperimentação.

Bioenergética

Considera que o universo está preenchido por energia, sendo tudo ao nosso redor feito de energias, mais densas ou rarefeitas, puras (imanentes) ou com padrões das consciências (conscienciais). Considera que a consciência é uma realidade diferente da energia, sendo que a consciência utiliza as energias para se manifestar e interagir.

Multidimensionalidade

Considera que as energias estão dispostas em múltiplas dimensões, a depender do grau de densidade ou organização. As dimensões variam das mais densas, materiais, às mais sutis.

Holossoma

Considera a existência de diferentes corpos de manifestação. A consciência poderia, segundo esse princípio, manifestar-se nas múltiplas dimensões a partir de corpos ou veículos apropriados para cada dimensão. Por exemplo, você manifesta-se a dimensão física utilizando o corpo humano, corpo físico, ou soma, e manifesta-se na dimensão extrafísica, mais sutil, portando o psicossoma, ou corpo emocional, que você pode experimentar através da projeção consciente.

Serialidade

Considera que a consciência vive múltiplas vidas, numa sequência ou série existencial, alternando períodos intrafísicos, na vida humana material, e extrafísicos, ou períodos intermissivos.

Cosmoética

É a filosofia moral do Paradigma Consciencial, que seria a ética cósmica, ou moral cósmica, um princípio mais amplo que a moral humana comum, que considera a multidimensionalidade e a serialidade.

Universalismo

É o conjunto de ideias derivado da compreensão da multidimensionalidade e serialidade existencial, com a interconvivência entre as consciências do cosmos, e as leis universais, fazendo perder o sentido, por exemplo, de defesas de países, bairrismos, fronteiras ou preconceitos.

Você, leitor ou leitora, já vivenciava os princípios do Paradigma Consciencial no seu dia-a-dia? Aceita o desafio de vivenciá-los, a partir da autoexperimentação, pesquisa participativa e da refutação?