Entenda neste artigo como superar a carência afetiva através da técnica da invéxis e aumentar a coerência com valores evolutivos.

O que é carência afetiva?

A carência afetiva é caracterizada por uma dependência emocional extrema, na qual uma pessoa precisa de outra para se sentir feliz e amada. Esta condição se torna um problema para os envolvidos, uma vez que ninguém pode suprir as demandas internas de uma pessoa, além dela mesma.

Sintomas da carência afetiva

Entenda os sintomas da carência afetiva.

As principais características da pessoa que sofre da carência afetiva são:

1. Autovitimização

Colocar-se na posição de vítima e de injustiçado é um dos sintomas da carência afetiva.

2. Controle e ciúme excessivo

Tentar controlar a todos, principalmente aqueles que são alvo de afeto e demonstrar ciúme excessivo por essas pessoas.

3. Cobrança excessiva aos outros

Sempre cobrar os outros por algo que eles supostamente deveriam ou não fazer, exigindo excessivamente dos outros.

4. Comparação e competitividade

A comparação pode até ser uma forma de medida entre as pessoas, mas quando alinhada com a competitividade, se torna insustentável e leva a pessoa cada vez mais a olhar o que não tem em detrimento do que já possui.

5. Inveja

É a emoção de raiva, desejo ou angústia perante o que o outro tem. Desejar constantemente as conquistas e afetos dos outros faz a pessoa olhar para o externo quando deveria procurar olhar para si.

Olhar para si mesmo é descobrir um microcosmo.

6. Medo de ficar só

Um dos sintomas de carência afetiva é o medo de ficar sozinho ou sozinha, de não conseguir constituir um relacionamento com alguém. Pela ótica do paradigma consciencial, podemos até nos isolar, mas nunca ficamos sós devido à multdidimensionalidade.

7. Necessidade de chamar a atenção e se destacar

Sentir uma forte necessidade de chamar a atenção para si o tempo todo e querer se destacar dos demais a qualquer custo demonstra carência de atenção e afeto.

8. Submissão

A submissão é se sujeitar ou se subordinar aos desejos dos outros sem questionar, refletir. É aceitar as ordens ou demandas dos outros sem se perguntar o que você realmente quer. A submissão é uma característica da subserviência emocional — a escravidão às emoções. O antídoto para essa condição é a autocrítica.

9. Tercerização da própria felicidade

Terceirizar a felicidade é transferir ao outro a motivação de felicidade íntima. Colocar os outros como responsáveis por nossa felicidade é fugir da própria responsabilidade em buscar ser feliz.

A base da carência afetiva está associada à falta de amor-próprio, baixa autoestima, ignorância quanto as qualidades e talentos pessoais, gerando assim, dependência emocional.

Seguindo esta lógica, o modo mais prático de superar a carência afetiva é praticando atividades que revelam para si mesmo as competências pessoais e trazem a sensação íntima de contentamento e satisfação.

→ Leia também: Qual relacionamento é o mais evolutivo: namoro e casamento ou dupla evolutiva?

Propósito de vida e Inversão Existencial

A técnica da inversão existencial ou invéxis pode ser muito útil nesse processo no contexto do jovem que demonstra sinais de carência afetiva.

A inversão existencial é a técnica de otimização máxima da vida humana, fundamentada na Conscienciologia, aplicada desde a juventude, objetivando o exercício precoce do auxílio aos outros e o cumprimento da programação existencial (proéxis), também conhecido como propósito ou missão de vida.

A inversão existencial auxilia o jovem na definição do propósito de vida pessoal, pois a base da técnica da invéxis é justamente a coerência com o propósito pessoal para que este seja cumprido.

Mantenha-se informado!

Propósito de vida

Para definir o propósito de vida pessoal é necessário autoconhecimento quanto aos valores pessoais e resposta para a seguinte pergunta básica: “O que eu realmente quero para minha vida?

Nascer, crescer, escolher uma boa profissão, ganhar dinheiro, ter uma vida confortável, casar, ter filhos. Será que a vida humana se resume só a isso?

A pessoa deixa de ser carente afetiva quando assume o rumo da própria vida e entende de maneira prática que o processo evolutivo dela está nas mãos dela mesma. A invéxis fomenta esse senso de autonomia e protagonismo dentro da própria vida.

Quando a pessoa define o que realmente quer para a vida e escolhe ser coerente com os valores evolutivos pessoais, esta nota que a satisfação íntima se da pela coerência com o que ela realmente quer e valoriza. Reconhece na prática que essa satisfação não depende de ninguém além dela mesma.

A técnica da invéxis permite a coerência entre o propósito de vida e as ações cotidianas. A carência afetiva cessa quando o indivíduo assume as rédeas da própria vida e se orgulha intimamente das ações praticadas.

Ficou interessado na técnica da Inversão Existencial? Saiba mais através da leitura de outros conteúdos disponíveis neste site.

Referências

1. Nonato, Alexandre; et. al.; Inversão Existencial: Autoconhecimento, Assistência e Evolução desde a Juventude; 304 p.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2011

2. https://www.sbie.com.br/blog/o-que-e-carencia-afetiva-e-como-tratar/