Saiba as principais características da carreira militar e desenvolva seu senso crítico diante desta possibilidade de profissão.

Breve histórico da Carreira Militar

A carreira militar está associada a ideia da guerra, para compreendermos melhor seu histórico, é preciso compreender a origem das guerras.

A guerra se originou a partir da necessidade do ser humano de defender o próprio território, ao mesmo tempo em que ambicionava conquistas de territórios vizinhos.

Com o passar dos anos as nações passaram a institucionalizar a arte da guerra formando os exércitos.

Os exércitos eram liderados pela classe aristocrática das nações e o serviço militar era voluntário com recompensas para os indivíduos que se alistassem para defender sua nação.

Mais tarde, após mudanças sociais, se instituiu o serviço militar obrigatório, dando origem a carreira militar.

Com a possibilidade de fazer do serviço militar uma carreira em que o jovem poderá alcançar altos postos na hierarquia, a carreira militar passou a ser objeto atrativo para se alcançar prestígio social e estabilidade financeira.

Mas seria estes benefícios suficientes para se optar pela carreira militar?

Vejamos 4 contrapontos!

Quais os riscos da carreira militar?

Para o jovem interessado em construir e ter uma vida produtiva, a carreira militar tem como risco principal a morte do indivíduo em uma eventual necessidade de participação de uma guerra.

Pode-se argumentar que o mundo atual está mais estável e que a possibilidade de entrarmos em guerras mundias como ocorrera no século XX é mais remota, ou até mesmo afirmar que o Brasil é um país mais neutro com relação aos conflitos no mundo e que isto tornaria a carreira militar no país menos arriscada.

Contudo, o próprio contexto de estar inserido em um exercíto, fazer exercícios de guerras, turnos de sentinela, além de ter contato permanente com armas torna o indivíduo mais propício a entrar em conflitos fatais.

Façamos o seguinte exercício mental: quem passa o dia dia mechendo com atividades de guerra, pensa mais sobre isto do que a média da sociedade, tem mais conexões e amizades baseadas neste tema, logo está envolvido em um meio alimentado por conflitos.

Neste sentido esta escolha não é uma opção sadia para o jovem que deseja ter uma vida produtiva e construtiva, ou que tenha interesse em deixar algum legado pessoal.

Vale lembrar que a carreira militar quer o indivíduo queira ou não, é um projeto de vida baseado na violência e na força bruta, ou seja, aspectos associados mais a condição instintual e selvagem do homeme e menos associadas a condição cerebral, da inteligência.

Mantenha-se informado!

Como funciona as relações sociais no meio militar?

A vida social de qualquer militar está atrelada a patentes e posições na hierarquia do quartel. Sendo assim, é necessário a prestação de continência, gesto de demonstração de respeito quando o oficial de patente inferior estiver na presença de um superior.

Este gesto é realizado independente da qualidade das ações ou do comportamento dos superiores.

Torna-se portanto, símbolo de ausência de liberdade do oficial de se manifestar de maneira crítica a seus superiores, nas condições do meio em que exerce sua profissão.

O jovem que se desenvolve neste meio, terá dificuldade de se relacionar de maneira mais horizontal com os outros, pois suas relações sociais estão necessariamente atreladas a uma posição hierárquica pré-estabelecida.

Uma das principais vantagens da convivência humana é justamente a possibilidade que temos aprendermos uns com os outros compreendendo os seus pontos de vista e exercitando nossa liberdade de expressão e opinião.

No mundo militar esta possibilidade é castrada pelas patentes e hierarquias pré-estabelecidas, onde contestar um superior ou ter uma opinião divergente, quanto a determinado tema, da maioria da corporação é considerando ato suspeito ou até mesmo de traição.

Carreira militar
Fonte: Google imagens

Viver uma vida voltada para uma obediência cega, dificulta o desenvolvimento da autocrítica, característica fundamental para quem deseja tomar decisões de maneira consciente e cultivar a autonomia dos próprios pensamentos e opiniões.

Qual a relação do Nacionalismo com a carreira militar?

É muito comum associar a carreira militar ao processo do orgulho nacional e patriotismo, afinal os militares são os responsáveis pela defesa do território.

Defender a própria nação, os conterrâneos e familiares a princípio parece ser viver uma vida de maneira nobre.

Militares
Fonte: Pixabay

Este ideia tradicional é cultivada desde tempos remotos na humanidade, como por exemplo na época da Idade Média, onde os cavaleiros do senhor feudal eram considerandos exemplos de moralidade e nobreza por conta da suas responsabilidades em defender o feudo.

Naquela época, o mundo vivia em constante conflito e não havia perspectiva de ordem social, jurídica, legal ou até mesmo organização e garantia de direitos e deveres dos cidadãos.

Atualmente é possível observar avanços na sociedade contemporânea que nos levam a refletir sobre a real necessidade de se cultivar grupos de indivíduos com a função social de cavaleiros medievais.

O amor seja pela pátria, pelo rei ou pelo feudo, tem consequências maiores quando não se enxergar nas outras nações e países seres humanos que passam as mesmas dificuldades, dilemas e problemas.

O ambiente militar dificulta o jovem a pensar de maneira mais abrangente considerando a existência de outras culturas, línguas e maneiras de se enxergar o mundo.

Abertismo Consciencial e Visão de mundo

Cultivar e ampliar a visão de mundo é fundamental para se desenvolver o abertismo consciencial, quando a inteligência do indivíduo se expande e ele passa a lidar melhor com os próprios problemas, inclusive desenvolvendo algumas características como:

1.  Aprender novos idiomas entrando em contato com diferentes modos de pensar.

2.  Identificar as premissas por trás das suas opiniões políticas ou sociais.

3.  Questionar as verdades do senso comum.

4.  Pesquisar outras linhas de conhecimento além da tradição familiar.

5.  Participar de debates de modo a desenvolver o discernimento pessoal.

6.  Ampliar os temas de leitura exercitando sua visão de conjunto.

Em outras palavras podemos concluir que dedicar uma vida ao nacionalismo é viver a realidade de modo limitado.

Que prospectivas a carreira militar proporciona?

A principal vantagem aparente da carreira militar está na pessoa ganhar estabilidade e, ao mesmo tempo, manter a escalada nas patentes tendo com isso um bom retorno financeiro.

Apesar deste benefício de renda e de prestígio social, conforme vimos acima se dedicar a uma instituição voltada para guerra, é mais que apenas uma profissão, é também um estilo de vida, em que a liberdade e flexibilidade de ações do indivíduo ficam limitadas a instituição.

Inversão Existencial vs Carreira Militar

Viver uma vida produtiva, com autocrítica e ampla visão de mundo são diretrizes da técnica da inversão existencial.

A inversão existencial é estratégia de vida onde a carreira profissional funciona enquanto uma ferramenta de auxílio para o jovem materializar seus verdadeiros valores independentemente do meio social ou da nação em que vive.

Etica
Fonte: Pixabay

Esta estratégia de vida é fundamentada em um projeto de vida organizado pelo indivíduo desde a juventude, quando os dilemas, inexperiência e dúvidas são mais presentes.

A inversão existencial é fundamentada no paradigma consciencial, onde a visão de mundo por trás da vida humana é centralizada na pesquisa da consciência.

A consciência é o princípio de inteligência, nós, seres humanos, que se manifesta não apenas na dimensão material ou com um corpo biológico, mas que também e capaz de se manifestar em outras dimensões, com outros veículos de manifestação e também ter vidas sucessivas ou renascimentos.

Com base nestas premissas, o jovem interessado em uma carreira convergente com seus valores pessoais, admite que é uma consciência milinenar, que inclusive já tivera experiências com diferentes profissões ao longo das suas vidas anteriores.

Este senso íntimo não só ajuda o jovem a tomar decisões mais assertivas observando os fatos e as consequências das suas decisões, conforme apresentado acima sobre carreira militar, como também a identificar as tendências pessoais que podem ser construtivas ou não.

Mantenha-se informado!

Com base na proposta da inversão existencial vamos sintetizar os 8 principais contrapontos entre a proposta da carreira militar e a prática da inversão existencial:

Autossacrifício

Risco de Vida: Na carreira militar exige-se do candidato o comprometimento da própria vida com a profissão, estando ciente da possibilidade de flertar com sacrifício da própria vida em prol do trabalho.

Abnegação assistencial: Na prática da inversão existencial o jovem faz sacrifícios, porém do ponto de vista de renunciar a interesses e até mesmo do conforto pessoal em prol da exaltação ou participação em trabalho de assistência aos demais. Exemplo disto seria quando o indivíduo deixa de ganhar mais dinheiro em uma profissão qualquer para poder se dedicar mais ao voluntariado.

Hierarquia

Submissão: Na carreira militar exige-se submissão a rígida hierarquia e disciplina por parte do aspirante dentro das estruturas sociais pré-estabelecidas.

Engajamento: Na prática da invéxis há o engajamento da consciência no que diz respeito a assistência pautada no esclarecimento inclusive recebendo orientação de consciências mais avançadas ou maduras no direcionamento dos projetos pessoais.

Exclusivismo

Institucionalização: Na carreira militar há dedicação exclusiva a instituição sendo proibido ao indivíduo participar de outras atividades profissionais.

Paradigma: Na prática da invéxis o exclusivismo da consciência está associado a vivência integral, ao longo da existência, do paradigma consciencial na vida humana, se distanciando dos hábitos, tradições e convenções sociais, inclusive se organizando na busca da conquista do pé-de-meia financeiro com antecedência.

Disponibilidade

Corporação: Na carreira militar há disponibilidade integral do profissional para a coorporação podendo ser chamado a qualquer momento para atender alguma demanda.

Maximecanismo: Na prática da invéxis há uma construção da disponibilidade de assistência a outras consciências tanto do ponto de vista da dimensão humana, material, quanto da dimensão extrafísica (não material).

Nomadismo

Coleira: O profissional militar pode ser deslocado para qualquer área geográfica de acordo com as necessidades ou interesses da corporação.

Liberdade: Na prática da invéxis a consciência busca a autonomia finaceira e pessoal para conseguir estar disponivel para ampliar o trabalho assistencial e caso avalie por si mesma, a necessidade de se deslocar para itinerâncias ou mudar de cidade ou país.

Vigor

Físico: Exige-se do profissional militar condicionamento físico e força bruta para lidar com os diversos desafios que a profissão exige inclusive para o combate de conflitos físicos, que envolvam a violência.

Energético: Na prática da invéxis a consciência trabalha cada vez mais para dominar as próprias energias a fim de conseguir a partir disto interagir com maior equilíbrio e sanidade com outras consciências para fazer assistência.

Aperfeiçoamento

Educação: No meio militar exige aperfeiçoamento do ponto de vista de desenvolvimento de habilidades e ganho de conhecimento para o melhor desempenho no exercício da profissão.

Reciclagem: Na prática da invéxis o aperfeiçoamento é voltado par as reciclagens e mudanças íntimas identificadas pelo indivíduo no decorrer da existência de acordo com os feedbacks que recebe e com os desafios da vida que lhe são apresentados.

Apartidarismo

Atividade: O militar da ativa não pode participar de atividades políticas e partidárias, estando a disposição do estado e não de um grupo de governantes com determinada ideologia.

Universalismo: O praticante da invéxis é universalista e exercita a sua liberdade de expressão independente de qualquer grupo ou partido político.

Exercitando a autocrítica e ampliando a visão de mundo desde a juventude, é possível tomar decisões autoconscientes capazes de fazer da vida pessoal motivo de satisfação íntima.

A inversão existencial propõe o investimento na assistência pelo jovem de modo a torna-lo mais confiante nos próprios potenciais, identificando valores evolutivos e talentos para se cultivar na existência.

Se você tem interesse em cultivar e vivenciar estes valores venha conhecer a Assinvéxis, instituição pautada no paradigma consciencial onde se pesquisa uma maneira de se viver esta vida de modo planejado desde a juventude.

Gostou deste artigo? Leia também:

1. Autocrítica: a principal característica do inversor
2. Florence Nightingale: Vida e Obra pela Análise Invexológica
3. Escolha profissional madura: Universidade e Proéxis

Referências Bibliográficas

1. Nonato, Alexandre; et al.; Inversão Existencial: Autoconhecimento, Assistência e Evolução desde a Juventude; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2011.

2.  Vieira, Waldo; 700 Experimentos da Conscienciologia; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu; PR; página 691