O aborto é a interrupção prematura da gravidez, com ou sem expulsão do feto, voluntária ou espontânea, resultado na morte do feto. Há muitos debates em torno do aborto, do ponto de vista religioso, legal, ético e da saúde. Porém você já parou para refletir sobre as consequências multidimensionais?

Numa sociedade cada vez mais liberal, o aborto acaba sendo uma saída para as mulheres que engravidaram sem intenção, ou se arrependeram, fruto da precariedade da educação sexual da população em geral, principalmente a população jovem de baixa renda, e da banalização do sexo e da gravidez.

Na juventude o assunto é ainda mais problemático, pois uma gravidez indesejada é vista muitas vezes como a impossibilidade de muitas oportunidades e de uma parcela da liberdade dos pais adolescentes, e pode acabar como um limitador financeiro, social e profissional. Por esses motivos, é enorme a parcela dos jovens que procuram clínicas de aborto.

Nos dias atuais, o aborto ainda vem sendo realizado em condições precárias em muitas localidades. Clínicas clandestinas fazem o procedimento sem respaldo da lei, e as condições de higiene e apoio psicológico são as mínimas, o que contribui para a morte de muitas mulheres, criminalidade e traumas psicológicos.

O aborto é a interrupção prematura da gravidez, com ou sem expulsão do feto, voluntária ou espontânea, resultado na morte do feto.
Imagem de Anemone123 por Pixabay

Quais as consequências multidimensionais do aborto?

1 – Autoculpa 

Segundo Nonato, 2011, “a fixação de autoculpa no universo feminino e/ou masculino, ao modo de estigma duradouro”.

As pessoas envolvidas no aborto, direta ou indiretamente, podem experimentar a culpa pelo ato, e isso em geral provoca sentimentos negativos, podendo levar a consequências na vida da pessoa. Exemplos dessas consequências são dificuldade para se relacionar com novos parceiros, insegurança em relação a si mesmo e seus próprios posicionamentos, temor de ter outra gestação humana, entre outros.

Mantenha-se informado!

2 – Interprisão

A interrupção de uma gestação em andamento significa, segundo as pesquisas da Seriexologia, desfazer as ligações energéticas de uma nova consciência que estava se materializando na dimensão intrafísica.

O conceito de interprisão grupocármica é da Conscienciologia, e significa a “interprisão grupocármica é o comprometimento interconsciencial decorrente de ações anticosmoéticas entre consciências ou princípios conscienciais, resultando em condição patológica de inseparabilidade temporária” (Vieira, 2018).

A interprisão nada mais é do que uma relação de dívida entre 2 ou mais indivíduos, intra ou extrafisicamente, gerada por uma interação patológica.

3 – Assédio extrafísico

O assédio interconsciencial é a intrusão patológica de pensamentos, sentimentos e energias de uma ou mais consciências sobre outras, podendo ser intra ou extrafísico.

A prática do aborto pode gerar assédio de consciências extrafísicas nas pessoas envolvidas. Essas consciências extrafísicas podem, por exemplo, estar interessadas na efetivação do aborto, ou cobrando as pessoas envolvidas por estarem realizando a prática, ou estarem relacionadas ao ato pelo fato de ser uma prática criminosa, ou simplesmente interessadas em vampirizar energeticamente os envolvidos. É comum que as pessoas percebam a presença de assediadores extrafísicos ainda por longos períodos após o aborto.

Relacionado ao tema: Childfree e a Antimaternidade Produtiva: qual a diferença?

4 – Ressacas energéticas

Você percebe as variações das suas energias ao longo do dia-a-dia? Já notou alguma relação dessas variações com os locais frequentados, pessoas que teve contato ou com os atos da ocasião?

As ressacas energéticas são baixas nas energias pessoais, com efeitos negativos nos pensamentos e sentimentos. Nesse caso, a prática do aborto é em si desgastante do ponto de vista energético. O assédio extrafísico envolvido, os sentimentos de culpa e todo o trâmite para realizar o aborto são “ralos” de grande perda energética. Não raro, os envolvidos precisam de bastante tempo após a ocorrência para se reestruturarem energeticamente.

Existem contextos muito diversos nas vidas das pessoas que realizaram abortos. Sem dúvida, cada caso deve ser analisado individualmente. Este texto não tem a pretensão de julgar ou analisar as causas e motivações, mas somente de esclarecer sobre as consequências multidimensionais, de modo a auxiliar ou alertar as pessoas.

A melhor forma de não sofrer estas consequências é a prevenção. A evitação da gravidez indesejada é a verdadeira solução cosmoética o aborto.

Você, leitor ou leitora, já presenciou ou participou, direta ou indiretamente, de um aborto humano? Admite as consequências multidimensionais desta prática?

Referências:

  1. Nonato, Alexandre; et al.; Inversão Existencial: Autoconhecimento, Assistência e Evolução desde a Juventude; pref. Waldo Vieira; 304 p.; 70 caps.; 17 E-mails; 62 enus; 16 fotos; 5 microbiografias; 7 tabs.; 17 websites; glos. 155 termos; 376 refs.; 1 apênd.; alf.; 23 x 16 cm; br.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2011.
  2. Vieira, Waldo; Aborto Humano Provocado; verbete; In: Vieira, Waldo; Org.; Enciclopédia da Conscienciologia; apres. Coordenação da ENCYCLOSSAPIENS; revisores Equipe de Revisores da ENCYCLOSSAPIENS; 27 Vols.; CLXXIV+23.004 p.; 1.112 citações; 11 cronologias; 33 E-mails; 206.055 enus.; 602 especialidades; 1 foto; glos. 4.580 termos (verbetes); 701 microbiografias; 274 tabs.; 702 verbetógrafos; 28 websites; 670 filmes; 13.896 refs.; 54 videografias; 1.087 webgrafias; 9ª Ed. Digital; rev. e aum.; Associação Internacional de Enciclopediologia Conscienciológica (ENCYCLOSSAPIENS); &Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2018; ISBN 978-85-8477-120-2; disponível em: <http://encyclossapiens.space/nona/ECDigital9.pdf>.

Tags da sua leitura