O uso de drogas na adolescência é uma condição muito frequente nos dias atuais, assunto que merece atenção e análise crítica, em função das suas consequências e em função da necessidade de se analisar as particularidades das gerações atuais. 

Segundo o IBGE, a experimentação de drogas ilícitas cresceu de 7,3% para 9,0% entre 2012 e 2015, e segundo o  Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas da Escola Paulista de Medicina, o CEBRID, entre jovens estudantes de 1° e 2º graus, 80,5% usaram álcool, pelo menos uma vez na vida, 18,6% usaram frequentemente, 28% usaram tabaco pelo menos uma vez na vida, 5,3% frequentemente, e 22,8% usaram drogas psicotrópicas pelo menos uma vez na vida, sendo 3,1% com uso frequente.  

Segundo as pesquisas da Conscienciologia, o Assédio  Interconsciencial é “a invasão ou intrusão doentia de ideias, emoções e energias de uma consciência na outra” (Vieira, 2010). O assédio extrafísico é quando essa intrusão é oriunda de uma consciência extrafísica, ou consciexes.

Drogas na adolescência: Entenda os problemas do primeiro contato
Fonte: Freepik

Segundo as pesquisas da Parapatologia, essa ocorrência se dá a partir de predisposição da pessoa assediada, decorrente de ações, pensamentos e posturas. As companhias extrafísicas assediadoras conectam-se com a pessoa em questão, em geral, por afinidade.

A seguir, estão 3 principais fatos que conectam o uso de drogas ao assédio extrafísico:

Ambientes e companhias

É fato que quanto mais nosográfico forem o ambiente e as companhias, mais suscetível a pessoa torna-se para ser alvo de assédio. Como foi dito algumas linhas acima, o assédio conecta-se ao assediado por afinidade. Assediadores afinizados com o entorpecimento, hedonismo e vício serão encontrados mais frequentemente em ambientes que contenham pessoas com esse mesmo padrão.

Mantenha-se informado!

Você, leitor ou leitora, já percebeu a presença de consciexes assediadoras? Qual era o local em que você se encontrava? E como você avalia os ambientes (holopensene/energias) em que as pessoas consomem álcool e drogas? As energias são positivas ou patológicas?

O uso de drogas na adolescência e a queda de lucidez

Outro fato interessante é que quanto menor domínio e controle sobre os próprios pensamentos, sentimentos e energias (pensenes), maior a vulnerabilidade a intrusões externas patológicas.

No tratado Homo sapiens pacificus, o alcoolismo, o tabagismo e a toxicomania são classificados enquanto redutores do autodiscernimento (Vieira, 2007). O uso de drogas na adolescência tira a lucidez, pois altera o funcionamento cerebral e corporal, aguda e cronicamente, reduzindo o domínio da consciência dos próprios pensenes.

Você, leitor ou leitora, considera que está mais lúcido sóbrio ou sob efeito de drogas? Julga que consegue manter-se no controle dos seus pensenes alcoolizado?

→ Leia também: Maconha: conheça os efeitos multidimensionais

As Vampirizações energéticas

As consciex chamadas vampirizadoras são uma categoria de consciexes energívoras. Essas consciexes promovem assédio pela extração de energias diretamente da pessoa, em geral, em situações de vulnerabilidade, como doenças físicas debilitantes, estados emocionais  de raiva, depressão ou euforia, estados mentais de monoideísmo, entre outros.

O prazer imediato e efêmero resultante do uso de drogas, aliado à baixa lucidez e estado alterado de consciência, pode ser propício para a vampirização das energias conscienciais. Nesse caso, o próprio vício e estímulo mental à busca pelo uso da substância pode ser fruto de sugestão pensênica desse tipo de assediadores.

Por fim, caso a consciência deseje manter-se hígida e ampliar sua lucidez no dia-a-dia, vale a pena ver-se livre do uso de drogas na adolescência.

Caso deseje também estudar mais sobre assédio interconsciencial e domínio das bioenergias, vale a pena ler mais sobre as especialidades Parapatologia e Energossomatologia. 

Referências

Boletim CEBRID – Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas – número 66; Agosto-Dezembro 2010; São Paulo, SP; Disponível em <https://www.cebrid.epm.br>; Acesso em: 01.12.2019.

IBGE; Instituto Brasileiro e Geografia e Estatística; Editoria: Estatísticas Sociais; Disponível em: <https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/9501-pense-2015-55-5-dos-estudantes-ja-consumiram-bebida-alcoolica-e-9-0-experimentaram-drogas-ilicitas> Acesso em: 01.12.2019.

Vieira, Waldo. Homo Sapiens Pacificus. Editares: Foz do Iguaçu, 2010.