Saiba qual o sentido da vida e como identificá-lo através da técnica da inversão existencial.

A resposta sobre o verdadeiro sentido da vida é muito procurada, inclusive entre os jovens, a qual, será apresentada, enquanto vivência pessoal deste autor, de maneira clara e sucinta, subdividido em 3 tópicos. Vejamos:

I. O SENTIDO DA VIDA

A palavra sentido possui diversas conotações. É aquilo que buscamos ou almejamos saber, seja uma explicação, um significado, uma razão, uma lógica, um fundamento, uma percepção, uma direção ou propósito. Já a palavra vida pode se referir a um processo contínuo de relacionamentos, o período da concepção à morte, ou mesmo um conjunto de hábitos ou modo de viver.

Podemos então, extrair da expressão “sentido da vida” aquelas lições, motivos, justificativas ou explicações para o entendimento do percurso e direcionamento da existência humana pela própria consciência norteadora.

self-leadership and existential inversion
Fonte: Pixabay

II. SENTIDO DA VIDA E PARADIGMA CONSCIENCIAL

O sentido da vida há inseparável ligação com a pessoa protagonista de sua própria história, a forma que ela percebe a realidade que está inserida e quais são seus processos evolutivos e de acertos grupocármicos.

E, de acordo com seu paradigma pessoal, nível de lucidez e discernimento, filtra toda esta informação captada e atribui uma lógica ou sentido. Neste entendimento, a vida não possui o mesmo sentido para todos, portanto, é postulação subjetiva e individualíssima. Contudo, há alguns aspectos em comum.

Pois bem, existe uma nova ciência que pesquisa com profundidade o sujeito que atribui sentido à vida. É a Conscienciologia, que estuda a consciência de modo integral, pesquisa o indivíduo e suas manifestações, ou ego, self, alma, eu superior, eu maior, etc., somos nós em essência, o princípio pensante. Esta neociência se estrutura em sete premissas básicas, listadas em ordem numérica a seguir:

1. Bioenergias

É a energia da vida, que vitaliza e anima o corpo físico. Existem 2 tipos, a energia imanente e a consciencial. A primeira é “puramente” sem informação, da natureza (exemplos: energia da água, terra, plantas, ar, cosmos). A Segunda, é aquela energia imanente que nós absorvemos pelos nossos chacras ou pontos energéticos e carregamos com nosso padrão, forma de pensar, sentir e agir e imprimimos nela determinada informação, da nossa consciência.

2. Holossoma

Possuímos mais de um corpo ou veículo de manifestação da consciência. Além do corpo biológico (soma), temos um veículo emocional (espírito ou psicossoma), um mental (corpo do discernimento ou mentalsoma) e um energético que faz a ligação entre os demais corpos, que é o energossoma ou holochacra (conjunto de todos os chacras);

3. Multidimensionalidade

Existem várias dimensões, a física, extrafísica, energética, mental, dentre outras. Assim como as ondas de rádio e televisão, você precisa de um aparelho e conectá-lo num canal ou frequência específica para ter acesso às informações. O corpo físico vibra na velocidade/dimensão física ou intrafísica, o energossoma na dimensão energética ou dimener, o psicossoma na frequência extrafísica e o mentalsoma na dimensão mental.

4. Multiexistencialidade

Nós consciências, possuímos uma série sucessiva de vidas, ou múltiplas existências anteriores a esta e ainda várias outras por vir;

5. Universalismo

Compreendemos que a consciência é una e indivisível. Assim, não há motivos para qualquer tipo de pré-conceitos, seja com sexo, raça, credo, cultura, idade, níveis sociais, status, bairrismos, etc;

6. Cosmoética

Ética acima da moral humana, aquela que abrange o universo, o cosmos, em qualquer lugar, situação ou dimensão que a consciência atua;

7. Autopesquisa

Ou Autoexperimentação, é o estudo de si, pela própria consciência, baseado nas experiências personalíssimas, isento de dogmas e verdades absolutas. O que vale aqui é a sua própria vivência e suas conclusões e convicções a respeito.

→ Leia também: Interassistencialidade Cotidiana

O Paradigma Consciencial serve de modelo para estudar a consciência, de maneira mais ampla do que a ciência convencional. É ferramenta para o autoconhecimento e auto superação, também possibilita maior entendimento da própria realidade e a realização de um mundo mais assistencial e evoluído.

A mudança de patamar do nosso planeta hospital para um planeta escola depende justamente de cada um de nós. Se uma pessoa resolve investir em seu processo evolutivo, se dedicar ao auto estudo, ser mais assistencial, coerente, cosmoética, pacífica, esta contribuirá com a melhora do ambiente ao seu redor. Assim, refletirá em sua família, grupos de amigos, companheiros de trabalho, afetará a sua vizinhança e seu bairro.

Seguindo este raciocínio, outras pessoas que priorizam os mesmos esforços, tal comportamento pode ressonar e extrapolar os limites geográficos e multidimensionais de uma cidade, estado, país, continente e em toda uma população planetária.

sentido da vida
Fonte: Pixabay

Existe uma técnica específica para se aplicar, ainda na juventude, para acelerar todo esse processo e descobrir por si só, qual o seu propósito nesta atual existência, ou seja, o sentido da vida. Esta técnica é conhecida como invéxis, ou Inversão Existencial.

III. O SENTIDO DA VIDA E A INVERSÃO EXISTENCIAL

Qual é o fluxo normal da vida? Nascer, crescer, trabalhar, casar e procriar?

A Inversão Existencial é uma técnica que consiste no planejamento máximo da vida humana desde a juventude. Tem como proposta o amadurecimento do jovem de forma antecipada, priorizando a evolução individual e em grupo, a assistência às demais consciências, a superação de seus deslizes, o desenvolvimento de suas qualidades, evitando erros desnecessários.

Por que não aproveitar melhor a vida ou priorizar o mais importante? Ou mesmo, porque esperar atingir a casa dos 30, 40 ou 50 anos de idade para se preocupar em ajudar as pessoas, ou ser uma pessoa melhor? Ou, somente após isso para se conhecer mais e evoluir? O que estou fazendo aqui nesta dimensão física?

É muito comum ouvir pelos cantos aquela famosa frase “se eu pudesse voltar atrás” ou “se eu fosse mais jovem, mas com o conhecimento que tenho hoje”. A invéxis busca o sentido do cumprimento da programação existencial.

A técnica propõe estratégias para o desenvolvimento de metas, objetivos, sentidos, caminhos ou direções para a vida do jovem interessado na evolução pessoal. Então, podemos considerar que o sentido da vida seria justamente o cumprimento deste planejamento, alcançando assim a completude existencial.

Programação Existencial

Entretanto, para a identificação da programação existencial é fundamental que a pessoa interessada esteja aberta a novas experiências e novos conhecimentos. Esteja atenta aos seus pensamentos, sentimentos e ações. Busque se conhecer melhor e dominar suas emoções e suas energias. Se relacionar de maneira harmônica e equilibrada. Buscar o desenvolvimento pessoal, ser mais evoluído e assistencial. Nestes casos, a própria realidade lhe dará pistas.

Os sinais chegam até a pessoa porque está a buscar algo. E também por conta de seus interesses pessoais, nível de satisfação, planejamentos e onde se quer chegar. Você está onde merece estar, de acordo com suas priorizações nesta vida.

Receba as principais novidades sobre inversão existencial

Os fatos nos dão o caminho. Porém, o mais importante é o que estamos fazendo aqui, nesta existência e qual o sentido damos a ela.

Essa autoconsciência aumenta na medida em que a pessoa realiza, faz, desenvolve a própria programação existencial – Proéxis, que é específica de cada pessoa, elaborada no curso intermissivo (antes da próxima existência) para otimizar o processo evolutivo através da aplicação de suas habilidades e qualidades em prol da humanidade (interassistência), no decurso da vida intrafísica.

→ Leia também: Planejamento de Vida desde a Juventude

Atributos conscienciais

O discernimento mental e lucidez, a vontade inquebrantável e dedicação aplicada, a organização e disciplina também são fundamentais para o bom desempenho nesta dimensão densa e também nas mais sutis, além dos demais atributos e qualidades que possuímos.

O sentido da vida seria então a pessoa completar sua programação existencial, aquela planificação feita pela própria consciência, em período entre vidas, antes da restrição consciencial imposta pelo novo corpo biológico. E nesse planejamento de vida é levado em consideração qual o atual nível evolutivo do indivíduo, onde será mais produtivo viver, quais pessoas terão de conviver e quais aprendizados importantes serão necessários ter.

Caro leitor, responda para si próprio: É você quem conduz a sua vida ou é conduzido pelos outros? No caso de você ser autônomo da própria existência, qual a forma que a direciona e emprega seus talentos? QUAL O SENTIDO DA VIDA?

Assista ao vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=KogpXql00L4&t=362s

Referência Bibliogáfica

Vieira, Waldo. 1932 – 2015. Projeciologia. Panorama das Experiências da Consciência para Fora do Corpo Humano. 10ª edição. Foz do Iguaçu: Associação Internacional Editares, 2008. (versão disponível para download gratuito no google books).

Nonato, Alexandre. Zaslavsky, Alexandre. Colpo, Felipe. Amaral, Flávio. Muradás, Silvia. Inversão Existencial. 1ª edição. Editares. Foz do Iguaçu – PR, 2011.