Planejar a vida é essencial para o bom desenvolvimento do projeto de vida. Ainda mais na atual era da fartura de informações e de recursos que podem ampliar as alternativas ou gerar dispersão. Discutiremos como planejar a vida desde a juventude aplicando uma técnica para se viver de modo mais linear quanto ao projeto de vida.

Planejar a vida desde cedo otimiza as possibilidades de conquistas na idade madura.
Qual a relevância de planejar a sua vida?

Planejar para alcançar

Planejar envolve a elaboração de um plano de ações para se atingir determinado objetivo. De modo geral, todo planejamento envolve 7 perguntas básicas a serem respondidas com precisão:

  • O que realizar?
  • Para que realizar?
  • Por que realizar?
  • Para quem realizar?
  • Como realizar?
  • Quando realizar?
  • Onde realizar?

Assim, planejar envolve programar objetivos contendo metas e prazos para sua realização. Mas quando esta programação refere-se a nossa própria existência?

Algumas pessoas realizam uma programação existencial, ou proéxis, antes de renascer, realizando um curso preparatório durante o período entre vidas, o curso intermissivo.

Assim, analisam previamente o que necessitam realizar em termos evolutivos na próxima vida. Planejar a vida aumenta a probabilidade de acerto assistencial em sua existência intrafísica.

Porém, a maioria das pessoas que realizaram tal plano de vida não tem a lembrança exata do que necessitam realizar. Elas possuem um forte senso de propósito em conjunto com seus valores, e acessam gradualmente mais informações sobre sua programação planejada antes de nascer.

Em muitos casos ocorrem desvios. A falta de clareza frente ao que se quer realizar pode causar melancolia perante a própria existência. Similarmente se dá quando não conseguimos alcançar aquilo que se pretende por não planejar.

De fato, para evitar tal condição, torna-se necessário priorizar o planejamento de um projeto de vida desde a juventude. Assim, planejar a vida otimiza as potencialidades e organiza o futuro com base na experiência e no presente.

Atualmente, o jovem nasce com fartura de informações e de recursos. Isso pode ampliar as possibilidades e alternativas de escolha. No entanto, sem organização de vida e planejamento, pode gerar dispersão pela grande quantidade de estímulos.

Deste modo, é urgente priorizar e convergir os interesses precocemente, visando aproveitar ao máximo esta existência para materializar os objetivos traçados no curso intermissivo.

Receba as principais novidades sobre inversão existencial

Técnica da Inversão Existencial

Esta é a proposta da técnica da inversão existencial (invéxis): planejar a vida desde a juventude, priorizar a evolução, a assistência, a maturidade e o parapsiquismo.

Deste modo, temos um método profilático quanto às dispersões e imaturidades comuns da adolescência. Planejar desde cedo é enaltecer o discernimento (mentalsoma), utilizar a inteligência e se apropriar das vantagens da precocidade a favor da assistência aos outros.

Portanto, busca-se ampliar a lucidez quanto aos objetivos a alcançar, de modo a planejar ao máximo a vida humana (maxiplanejamento), utilizando os aportes recebidos. Assim, reduzimos as possibilidades de desvio da rota traçada.

Planejar a vida não deve ser algo estanque ou rígido, ocorrência natural no início de qualquer planejamento. Todo plano exige monitoramento e aprimoramento constantes.

A proposta da invéxis é planejar as ações de curto, médio, longo e longuíssimo prazo até os 26 anos. É quando o corpo biológico amadurece por completo.

Além disso, as metas de vida devem ser específicas, mensuráveis, atingíveis, relevantes e temporizáveis (SMART).

Também, os objetivos devem envolver valores assistenciais, produtivos para quem os alcança e para o maior número possível de pessoas, com qualidade.

Por fim, intrínseco ao planejamento, há o apreço por uma ética ampla e multidimensional, também conhecida como moral cósmica (cosmoética) em que predomina o discernimento e o critério de que aconteça o melhor para todos.

Dificultadores e Facilitadores do Planejamento de vida

Até aqui vimos a pertinência em planejar a vida e uma técnica direcionadora dos esforços do jovem. Contudo, faz-se necessário o estudo de variáveis influenciadoras do planejamento, afinal, são elas que iremos considerar para analisar a viabilidade do plano. Vejamos a seguir:

Dificuldades em Planejar a Vida

Existem muitos fatores atravancadores do bom desenvolvimento do planejamento de vida. Dentre eles, listamos 6 elementos que podem desviar o jovem:

  1. Acomodação.
  2. Desorganização.
  3. Falta de objetividade.
  4. Imediatismo.
  5. Perfeccionismo (medo de errar e do que os outros vão pensar).
  6. Reatividade (esperar que as coisas se resolvam).

Primeiramente, a acomodação é ficar na zona de conforto pessoal pensando já ter conquistado feitos relevantes e nem sequer ousar ir além da esfera de atuação cômoda por medo.

Já a desorganização é a manifestação da entropia pessoal, desordenada sem métodos, sistemas, procedimentos ou critérios para conduzir a vida. Nenhum planejamento bem-sucedido se assenta na desorganização.

Também, a falta de objetividade é o caminho mais rápido para o fracasso. Neste caso, é difícil saber onde se irá chegar. Planejar a vida pela invéxis é ter objetivos evolutivos ousados bem definidos.

Ainda, o imediatismo aparenta ser algo bom, com respostas de bate-pronto. Mas não é! Planejar exige refletir e discernir sobre as variáveis, opções, caminhos, métodos e objetivos. Esse processo não se dá de imediato, precipitado. A precipitação pode levar o jovem a queimar a vela pelas duas pontas.

Por outro lado, o perfeccionismo pode enrijecer e travar a manifestação do inversor existencial. Isso se dá pelo medo excessivo de errar e do que os outros vão pensar a seu respeito.

Por fim, o comportamento reativo no lugar do proativo pode ocasionar perdas de oportunidades. A pessoa espera que outros tomem as decisões da própria vida e vê as coisas acontecerem enquanto ela deveria tomar as rédeas da própria vida.

Para evitar os dificultadores do planejamento de vida, o jovem precisa desenvolver a capacidade de perceber, avaliar e criticar (autocrítica) seus pensamentos, sentimentos e atitudes (pensene).

Otimizações para Planejar a Vida

O planejamento, assim como na vida, não é feito apenas de variáveis ruins. Portanto, separamos 6 elementos otimizadores para planejar a vida desde a juventude:

  1. Abertura às mudanças.
  2. Autoconfiança nos próprios pontos fortes.
  3. Autorganização.
  4. Comprometimento com o planejado.
  5. Flexibilidade para adaptações.
  6. Proatividade.

De fato, a vida envolve muitos desafios e surpresas, de modo que é necessário adotar postura aberta às mudanças. Planejar a vida demanda abertura às mudanças.

Além disso, um bom plano de vida conta com a autoconfiança do planejador. Afinal, estamos falando da própria vida. Encarar os fatos e buscar os bônus e os ônus da evolução está adstrito à técnica da invéxis.

Deste modo, também é necessário se organizar para levar tudo de eito. Todas as áreas da vida humana são abarcados pelo maxiplanejamento, com ordenação.

Assim, se facilita o comprometimento com o planejado — outro requisito notável dentro do escopo do projeto pessoal. Sem comprometimento, deixamos um hiato entre a motivação e a realização.

Todas as variáveis mapeadas ainda não serão suficientes para garantir o sucesso do projeto de vida. Portanto, é indispensável desenvolver a flexibilidade, o famoso jogo de cintura, para se adaptar a quaisquer situações e garantir o sucesso do plano.

Por fim, é necessário antecipar os futuros problemas e mudanças ao invés de esperar acontecer ou só reagir. A unidade de medida de invéxis é a capacidade antecipatória.

Conclusão

Quem aplica a técnica da invéxis é considerado inversor ou inversora, pois inverte o fluxo comum da vida humana e antecipa uma série de atitudes para uma vida mais equilibrada e produtiva.

Um dos aspectos-chave mais desafiantes do planejamento inversivo é levar todas as áreas da vida em conjunto com o desenvolvimento das percepções além dos cinco sentidos (parapsiquismo) e a materialização de gestações conscienciais de ideias libertárias. Entre as gescons, destaco: livros, artigos, cursos e instituições — exemplificadas na teoria e na prática pelo próprio autor.

Um dos principais objetivos da inversão existencial é a conquista antecipada da condição de desassediado permanente total (desperto), ou aquele que não sofre mais com interferências negativas de outras consciências a partir de seu saldo de assistência e autopesquisa realizada.

Essas condições, são factíveis através do planejamento da vida humana considerando a aplicação exemplar da técnica da invéxis.

→ Veja também: Como ser técnico na vida sem ser paranoico?

E você, tem interesse pela aplicação da invéxis? Já realiza o planejamento de sua vida desde a juventude ou ainda se apoia na filosofia do deixa a vida me levar?

A ASSINVÉXIS é uma instituição especializada na educação e pesquisa quanto à técnica da inversão existencial, auxiliando as consciências a priorizarem sua evolução desde a juventude.

Dúvidas, elogios ou questionamentos? Seu comentário é muito importante para nós!